Connect with us

Comportamento

De Goiás para o Funk Hits: MC Jacaré comemora sucesso no Spotify e reflete sobre diversidade na música

Published

on

De Goiás para o Funk Hits: MC Jacaré comemora sucesso no Spotify e reflete sobre diversidade na música
Rawpixel | Divulgação

Quando Pedro Henrique viu a sua música sendo compartilhada por diversas celebridades, ele não acreditou. O áudio era só uma produção que tinha feito em casa, sem estrutura e nenhuma pretensão de sucesso. Mas Melhorar Meu Dia chegou no TOP 50 do Brasil pelo aplicativo Spotify e Pedro Henrique se tornou o MC Jacaré, o rosto que estampa a playlist Funk Hits em setembro.

Quando lançou nas plataformas, em poucos dias acumulou milhões de visualizações e alcançou celebridades, como a influenciadora Priscila Evellyn e o seu maior ídolo – o cantor Kevin O Chris.

Ascensão do funk, Pepê Barbosa revela que tem música nova vindo por aí

Conciliando o terceiro ano do ensino médio com o sucesso como artista, MC Jacaré entrou novamente do TOP 50 do país com a sua nova música, Comprei um Lança.  Em entrevista à todateen MC Jacaré fala sobre o início da carreira, parcerias, próximos passos e a importância da diversidade na música.

Festival Teen: MC Jottapê promete muito funk e animação para o live show

Se liga!

Você é ligado à música desde pequeno. Quando você decidiu que gostaria de seguir carreira no universo artístico?

Olha, a minha mãe fala que a brincadeira que eu mais fazia quando criança era fingir que estava tocando e cantando para a família. Eu sempre fui um garoto muito curioso, olhava o meu tio tocando violão e ficava lá do lado dele, tentando aprender alguns acordes. Então, eu sempre tive esse gosto, mas nunca passou pela minha cabeça ser um artista. Achava que essa vida era pra gente mais rica, e, por isso, um sonho muito distante de mim, entende? Já mais velho, em 2018, que eu comecei a fuçar na internet como produzir músicas, como mixar os funks que eu gostava. Fui baixando uns aplicativos no laptop velho que eu tenho e fui aprendendo. As músicas que eu fiz viralizaram e eu não acreditei quando isso aconteceu. Foi tudo muito rápido e inesperado.

Como você se sentiu quando viu seu rosto estampando uma das maiores playlists de funk do Brasil?

Até agora a ficha não caiu, hahah. Estou aprendendo a cada dia como lidar com o sucesso das minhas músicas. Eu fico muito feliz quando os meus pais voltam do trabalho e dizem que ouviram a minha música tocando em algum lugar pelo caminho. Os meus amigos também me mandam vídeos quando ouvem na rua. É tudo muito novo, a gente está entendendo esse sucesso agora também. E é muito bom poder mostrar que, de Setor Urias Magalhães, em um quartinho sem estrutura nenhuma, é possível fazer música e realizar o seu sonho.

O funk brasileiro tá se reinventando cada dia mais. Qual a importância na diversidade dos gêneros musicais (funk com forro, funk com trap…) nesse universo?

Eu acho que quando os gêneros se misturam, o público fica mais aberto para ouvir outras coisas. Acho que isso pode explicar o meu crescimento também. Quando que um garoto de 17 anos, de Setor Urias Magalhães, ficaria conhecido fazendo funk? É graças à internet e a essa mistura de estilos.

O seu mais novo lançamento é uma parceria com o JS O Mão de Ouro. Como tá sendo trabalhar com ele?

Está sendo ótimo. Ela vai fazer a versão brega funk de “Comprei um Lança”, acho que todos vão curtir. Assim como ele, agora também faço parte da produtora Los Pantchos, de São Paulo. E é coisa de outro mundo. Para quem gravava em casa sem ter até mesmo um microfone, agora a gente está bem demais, hahah.

Quais são seus planos para o futuro? Pode dar algum spoiler pra gente?

Além da versão brega funk de “Comprei um Lança”, ainda vou lançar outras músicas esse ano. A Los Pantchos me abraçou e está sonhando junto comigo.

Cinema e TV

Estilista analisa looks de “Emily em Paris”: confira quais foram as tendências e inspirações!

Published

on

Estilista analisa looks de "Emily em Paris": confira quais foram as tendências e inspirações!
Rawpixel/Netflix

Para quem maratonou todos os episódios de Emily em Paris, nova produção da Netflix, já percebeu que as roupas são também uma parte bem importante da série.

Já compilamos os melhores looks usados por Lily Collins, que interpreta e protagonista Emily Cooper, e agora a todateen traz uma análise exclusiva do stylist Luiz Plínio.

+ Teste: quem é você em Emily em Paris?

Confira!

O que acha do estilo da personagem Emily?

Acredito muito no poder que a roupa tem de falar sobre a nossa personalidade, estilo e lifestyle. A Emily veste um estilo impossível para uma publicitária, além de na minha opinião ser um pouco confuso.

Alguns especialistas relacionaram Emily ao estilo “americana que gosta de moda”, mas que não consegue acertar em cheio no “glamour” francês das personagens Camille e Sylvie. O que acha sobre?

Algumas produções até conseguem ostentar um certo poder, mas no geral não existe muito glamour. A Sylvie diz muito sobre a palavra, é uma mulher extremamente chique e transparece isso a cada aparição.

Quais tendências vistas na série você acredita que irão repercutir na moda como um todo e nas lojas de fast-fashions?

Acredito que a mistura das texturas é algo muito marcante nos figurinos, além dessa mistura de cores que estão em alta no momento.

O figurino da série é assinado por Patricia Field, a mesma stylist da Carrie Bradshaw (Sex & The City) e Andrea Sachs (O Diabo Veste Prada). Tendo em vista o sucesso dos looks dessas personagens, você acha que os looks de Emily estiveram à altura?

Faltou um pouco mais de realidade entre as peças e a vida da personagem, conexão no figurino em geral, algumas coisas confusas.

O que muitos comentaram é que os looks de Emily lembravam muito os looks de Blair (Gossip Girl). Entretanto, Gossip Girl foi ao ar 12 anos atrás. Neste caso, você acredita que a moda é atemporal ou que a stylist poderia ter explorado tendências mais atuais ao vestir Emily?

A moda está sempre revisitando o passado e trazendo tendências para o presente. A Emily traz muito algumas referências da atualidade com essa visita ao passado.

Você mudaria algo no figurino da série? Se sim, o quê?

Eu tenho um estilo mais clássico, e acredito que o menos é mais, quando se tem muita ousadia tento equilibrar no restante da composição. Não colocaria tanta mistura nos looks da Emily, já as outras personagens eu gosto bastante das composições .

Como você adaptaria um look de Emily para o dia a dia brasileiro?

Colocando um jeans na maiorias das composições. Deixaria tudo muito mais cool.

Continue Reading

Celebs

Em entrevista exclusiva, diretora do novo “Jovens Bruxas” fala sobre empoderamento de mulheres

Published

on

Em entrevista exclusiva, diretora de "Jovens Bruxas" fala sobre empoderamento de mulheres em remake
Rawpixel/Divulgação

Já estamos pra lá de ansiosas para conferir a nova versão do clássico de 1996, Jovens Bruxas – Nova Irmandade, com estreia prevista para o dia 5 de novembro nos cinemas. A continuação promete conquistar novamente o coração do público, trazendo não apenas a sensação de nostalgia, mas refletindo também sobre diversidade e empoderamento feminino.

Com da produção da Blumhouse, o longa será estrelado por Cailee Spaeny, Gideon Adlon, Lovie Simone, Zoey Luna, Nicholas Galitzine e Michelle Monaghan. A direção está nas mãos de Zoe Lister-Jones que, em entrevista exclusiva, a também roteirista discutiu um pouco mais sobre o processo criativo da produção do filme.

+ Livros de terror adolescentes: 10 sugestões que você vai amar!

“Raspei a cabeça na sétima série. Sofri muito bullying e agressões de gênero. Eu era uma outsider, como muitos são em momentos diferentes das nossas vidas. Quando Jovens Bruxas foi lançado, foi uma das primeiras vezes que eu realmente me senti vista no mundo da cultura popular.”
, disse Zoe, que relembrou que a produção cinematográfica que a impressionou na adolescência foi o longa-metragem de 1996, Jovens Bruxas (The Craft).

“Toda garota rebelde forjando o próprio caminho busca encontrar a própria comunidade onde possa ser aceita”.

Com isso em mente, a diretora procurou mostrar, em seu novo filme Jovens Bruxas – Nova Irmandade (The Craft: Legacy), para todos os “outsiders” que eles não estão sozinhos. “The Craft era exatamente o que precisávamos em 1996, mas agora estamos em um momento diferente. Precisamos de um filme que aplique o conceito a um elenco de personagens singulares e de um outro tipo. Eu era tão fã do original que queria fazer jus ao título – tive que investigar a fundo o que eu considerava a história mais importante a ser contada hoje no que se refere a mulheres jovens assumindo seus poderes.”, falou.

+ Bonecos colecionáveis, livros e muito mais: 11 itens que vão conquistar os fãs de terror

Por isso, ao invés de apenas reproduzir, Zoe decidiu também capturar o empoderamento das mulheres – que foi tão importante em sua juventude.

“Sem revelar muito, eu queria fazer um filme sobre mulheres e irmandade, sobre umas apoiando às outras e defendendo umas às outras, sobre aceitar a diferença e encontrar poder nela, mas também sobre a importância da comunidade no lugar do individualismo e o poder que essas personagens adquirem quando encontram seu clã.”, disse. “É sobre formar uma comunidade com as mulheres ao seu redor e envolver os rapazes nessa comunidade, e ver como podemos nos apoiar uns aos outros.”, afirmou ela, que para a produção trouxe para a equipe seu próprio “clã” de mulheres talentosas.

“Com o Instagram e as mídias sociais, há muita pressão agora – e não apenas sobre os jovens, mas sobre todos – para criar uma imagem de perfeição, de como todos nós devemos ser ou agir. Eu queria que Jovens Bruxas – Nova Irmandade (The Craft: Legacy) fosse sobre a aceitação da singularidade – o que torna cada um de nós perfeito são as nossas imperfeições.”, também analisou.

+ Halloween: 5 filmes de terror que vão tirar o seu sono!

O lançamento é mais uma opção da Sony Pictures em oferecer um produto inédito neste momento de retomada dos cinemas. Abaixo, o trailer oficial de Jovens Bruxas – Nova Irmandade.

Continue Reading

Beleza

Dossiê Lipo LAD: os riscos, resultados e valores do novo procedimento estético preferido das famosas

Published

on

Dossiê Lipo LAD: os riscos, resultados e valores do novo procedimento estético preferido das famosas

Além dos procedimentos que já estamos acostumadas a ver, como preenchimento labial, rinoplastia e prótese de silicone, este ano se popularizou uma nova intervenção estética: a Lipo LAD.

Com o objetivo de definir o abdômen, esse procedimento tem sido a aposta de diversas famosas, que exibem um tanquinho feito à mão, mas raramente falam sobre as complicações que vêm junto com essa barriga definida.

Por isso, a todateen conversou com o Dr. Fernando Amato, Cirurgião Plástico e Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, para entender melhor como funciona a cirurgia e explicar os prós e contras.

Hoje, a exigência para a lipoaspiração aumentou, e os pacientes procuram, além de tratar a gordura localizada, evidenciar mais a musculatura corporal, principalmente do abdômen. A Lipoaspiração de Alta Definição LAD, também chamada de HD (High Definition), busca exatamente isso: evidenciar mais a musculatura corporal e, muitas vezes, criar contornos musculares onde não seria possível aparecer com uma lipoaspiração convencional“, relata ele.

Esse é o caso de Giovanna Chaves, por exemplo. A garota, de 18 anos, já era bem magra mas optou por fazer a cirurgia mesmo assim para mostrar os músculos. Segundo ela, o valor estimado do procedimento varia de 37 a 50 mil reais, fora os custos com o hospital.

recuperação

Em seus stories, Giovanna tem mostrado como está sendo o pós-operatório e diz que nos três primeiros dias é esperado que sinta dor. A garota ainda relata a falta de vontade de se alimentar e os muitos remédios que está tomando para lidar com a dor. No entanto, segundo o Dr. Fernando, não há uma fórmula exata de recuperação para cada paciente.

A recuperação é individual e o pós-operatório é fundamental, com uso de malhas cirúrgicas e drenagens linfática. A primeira semana pode ser mais desgastante, mas melhora conforme vai desinchando. As malhas cirúrgicas podem ser recomendadas por mais de 1 mês e isso dependerá de cada cirurgião“, explica.

resultados

Assim como a recuperação, o resultado também varia e depende de cada indivíduo. Além disso, o doutor explica que a forma com que é feita o pós-operatório também influencia nisso, principalmente se houver ganhou ou perda de peso.

Filtros, harmonizações e plásticas: como as redes sociais afetam a autoestima das mulheres

De como foi o pós-operatório, principalmente se houve ganho ou perda de peso, até mesmo. “Além disso, existe um envelhecimento e desgaste individual da pele, que fazem perder o resultado com o tempo, e dependerão de outros fatores como exposição ao sol e até mesmo alimentação”, ressalta ele.

riscos

Apesar de muita gente querer os bons resultados, e as blogueiras raramente mostrarem as partes ruins, não se pode esquecer que a Lipo LAD continua sendo uma cirurgia e, dessa forma, tem alguns riscos.

Giovanna Chaves desabafa após polêmica Lipo LAD: “Estou sofrendo o inferno”

De acordo com o doutor, ela pode trazer algumas complicações, como a perda precoce do resultado, resultado muito artificial ou retrações indesejadas na pele. “Muitos desses problemas acontecem em pacientes que não possuem a melhor indicação para o procedimento ou que ganham peso após o procedimento”, explica o Dr.

Além disso, ele ressalta que a cirurgia não é recomendada para pacientes com doenças e comorbidades e pacientes obesos.

Continue Reading
Advertisement
Combinação de Nomes

Todos os nomes possuem significados e juntos formam uma combinação única!

Digite nos campos abaixo e descubra nos mínimos detalhes.

 
Combinação de Signos

Confira a combinação de signos para todos do zodíaco

Descubra quais signos combinam no amor, sexo, trabalho e amizade. Faça quantas combinações desejar e compartilhe!

Mais Lidos

Copyright © 2020 - Website produzido por Perfil.com Ltda. Uma parceria de conteúdo Perfil Brasil e Editora Alto Astral. Este site é parceiro do UOL Entretenimento.