Fale conosco

O que vc está procurando?

TodaTeen

Batalha

Entrevista com Fiuk: tudo sobre o visual novo e muito mais!

Entrevista com Fiuk: tudo sobre o visual novo e muito mais!

tt – Você voltou a morar em São Paulo. Qual é a parte boa de ficar em casa?
Fiuk – Estar em casa de novo já é a parte boa, ter meus pais, a família, é muito bom.
tt – E do que você sente falta do Rio?
Fiuk – Sinto falta de acordar todo dia e ver aquela praia maravilhosa, aquele céu azul… Mas também, em um ano e meio que fiquei por lá, eu só fui à praia cinco vezes. Sendo que uma delas foi pra gravar.
tt – Parece que essa sua mudança de ares influenciou até no seu visual, no jeito de se vestir… Foi mesmo? O visual colorido ficou em Malhação?
Fiuk – Do visual colorido eu vivi tudo o que tinha pra viver na época de Malhação. Eu usava, o Bernardo, meu personagem, também usava muito colorido. Então, chegou um dia em que eu olhei no espelho e falei “Ave, Maria! Chega!”. E foi assim. Mas também não estou dizendo que agora só uso preto e branco, não. Se der vontade de usar colorido, vou usar. Mas não sou um arco-íris. Eu dei uma mesclada.
tt – Depois que você cortou o cabelo, foi tranquilo se adaptar ou rolou um susto no dia seguinte? Na hora de lavar, por exemplo…
Fiuk – Quando eu fico nervoso, eu sempre puxo o cabelo. Depois de cortar, não tinha mais o que puxar, isso foi estranho. Mas é muito legal porque esse cabelo agora marca uma nova fase. A fase de Malhação foi tão bacana, tão gostosa, mas não tem como levar pra sempre. Eu vivi tanto aquilo, foi tão legal, o cabelo, a roupa colorida… Mas tem que fechar uma porta pra abrir outra, é uma nova fase e é um novo mundo.
tt – Agora você também está com mais tempo pra se dedicar à banda, não?
Fiuk – Então, eu sou fissurado em música. Quero aproveitar pra me dar ao luxo de pegar uns três dias na semana pelo menos pra tocar como louco, estudar e amadurecer. Quero traduzir direito o que eu tenho guardado aqui dentro de mim.
tt – E o projeto solo? Vai ter mesmo?
Fiuk – Eba! No ano que vem ele chega. Acho que o single deve sair em março e tá numa pegada um pouco John Mayer, sabe? Não tô mais naquela de “um, dois, três, sai do chão”. Vou falar um pouco mais o que eu penso, quero amadurecer, quero aprender. É um desafio pra mim e eu adoro desafios. Quero crescer.

Fiuk

tt – É você mesmo quem está compondo tudo?
Fiuk – Sou eu mesmo, com um parceiro ou outro. Tem o Tito Vale, que é um deles. Foi meu primeiro professor de canto que, mais do que qualquer coisa, me ajudou muito. Principalmente no lado pessoal, ele tirou vários traumas meus, me fez crescer como pessoa e acabou virando meu melhor amigo. Ele faz aniversário no mesmo dia em que eu. A gente comemora nossos aniversários juntos.
tt – Lendo ou vendo as suas entrevistas, eu fico com a impressão de que você é um dos meninos mais bem-educados da música. Qual foi a maior lição que sua mãe e seu pai lhe passaram?
Fiuk – Todo mundo tem um lado bom e outro ruim. Mas meu pai é muito intenso e minha mãe também é. Eles têm os dois extremos, o lado bom e o ruim. Eu tive a chance de pegar o lado bom de cada um, dei uma mesclada. Mas ainda não peguei tudo, eu chego lá! O meu pai sempre me diz: “não beije a boca da ilusão”, isso me deixa muito com o pé no chão.
tt – E a sua marca, a N.G.C.H. For Fiuk, você palpita bastante na criação das peças?
Fiuk – Muito, muito, muito! Pô, eu encho o saco do designer! Mas isso é muito bacana, eu gosto de moda desde os 12 anos de idade, então, tenho prazer em desenvolver isso. Estar sempre junto, ver o que é legal, o que não é… (risos). Eu gosto!
tt – Você sempre chama suas fãs de “mores” no Twitter…
Fiuk – É, eu adoro! É o meu jeito.
tt – Hoje em dia o problema do bullying está muito em evidência. Você, por ser filho de famoso, já sofreu com isso?
Fiuk – Poxa, eu sofro até hoje com isso, sabia? Mas antes era bem mais pesado. Em todas as escolas por onde eu passei eu sofri bullying pesado, pesado mesmo.
tt – Como era?
Fiuk – Ah, os moleques não falavam comigo. Só a mulherada. Tinha o lado bom, né? (risos). Mas eu ficava bravo porque eu não tinha amigo. Então, eu chegava nas escolas e era aquela loucura nos primeiros quatro meses de ninguém falar comigo, todo mundo me zoava, jogava papel na minha cabeça, tentava me passar rasteira na cantina. Era uma loucura.
tt – E pra superar isso?
Fiuk – Acho que eu superei isso meio que inconscientemente. Eu queria sempre fazer tanto para os outros me aceitarem que chegou uma hora… Na moral? Eu pensei: deixa eu olhar mais pra mim, fazer o que eu gosto, que se dane o mundo, eu quero ser feliz!
tt – Você vai ser “o” cara na festa de quinze anos da todateen, o Estrela Teen 2010. O que mais marcou você nessa idade?
Fiuk – Quem marcou meus quinze anos foi o Blink-182. Total! Nem musicalmente falando, que todo mundo ali é meio doido, só o Travis, o batera, toca pra caramba, é sensacional. Minha mãe sempre escutou rock mais pesado e esse som nunca me interessou tanto, porque era uma coisa tão séria, tão poser, tão argh… Não me atraía nem um pouco. Aí, uma vez eu vi o Blink, eu estava com um amigo meu, o primeiro batera da banda que eu tinha. Eu olhei e falei: “como assim, cara?”. Eles contando piada um da mãe do outro no palco, falando “fuck you” e essas coisas. Foi aí que eu me liguei: “é tão gostoso assim tocar, é bom desse jeito?”. Eu comecei a tocar as músicas dele, eu me vestia igualzinho ao Tom, queria ser aquele guitarrista, fazia tudo igual, a pose, o jeito de pegar a guitarra…
Texto e entrevista: Mariana Scherma 
Fotos: Luciano Munhoz/colaborador 

83 Comentário(s)

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Combinação de Signos

Confira a combinação de signos para todos do zodíaco

Descubra quais signos combinam no amor, sexo, trabalho e amizade. Faça quantas combinações desejar e compartilhe!

Combinação de Nomes

Todos os nomes possuem significados e juntos formam uma combinação única!

Digite nos campos abaixo e descubra nos mínimos detalhes.