Connect with us

Comportamento

Exclusiva: Jenna Evans Welch, autora de “Amor & Gelato”, fala sobre seu novo lançamento e dá conselho amoroso!

Published

on

Exclusiva: Jenna Evans Welch, autora de "Amor & Gelato", fala sobre seu novo lançamento e dá conselho amoroso!
Rawpixel/Divulgação

Jenna Evans Welch sempre foi uma leitora voraz e, no auge dos seus 7 anos de idade já tinha uma certeza: iria se tornar escritora quando crescesse. Dito e feito. Com os livros Amor & Gelato e agora com seu mais novo lançamento, Amor & Sorte, publicados no Brasil pela Editora Intrínseca, Jenna entrou para a lista de best-sellers do New York Times.

Para falar mais sobre o segundo livro da série Amor &, Jenna bateu um papo com a todateen, comentando diversos aspectos não só da produção, mas da história em si. A autora também revelou quais são seus próximos passos e deu um conselho super especial para quem está com o coração partido!

+ “Parece que Piorou”: como os quadrinhos de Bruna Maia retratam comicamente os tempos atuais

Confira!

Quando você realmente decidiu que gostaria de se tornar uma escritora?

Eu consigo me lembrar de ter 7 anos de idade e já querer ser escritora. Desde que eu descobri os livros eu me apaixonei, e eu só lia e lia. Eu decidi que eu queria escrever para adolescentes quando eu tinha 11 anos. E… agora eu tenho 34 anos e quando eu era mais nova, realmente não existiam uma boa variedade de livros no mercado do gênero Young Adult [jovens adultos]. E eu lembro que eu li tudo na biblioteca das crianças e eu lembro de ficar animada para procurar os livros que eram para adolescentes. Eu queria livros que eram pra um pessoal um pouco mais velho, mas que ainda fossem divertidos e tivessem um pouquinho de relacionamentos e beijos. E eu lembro de ir pra biblioteca e tinha tipo uma prateleira. E todos os livros eram sobre líderes de torcida e eu não fiquei impressionada. Eu fiquei tão desapontada e eu lembro de falar pra minha mãe “eu vou escrever os livros que eu gostariam que estivessem lá”. E eu só fui para a seção dos adultos e comecei a ler coisas que, honestamente, eram maduras demais para mim, mas ainda assim fico feliz de ter lido todas as coisas que eu li. Mas eu estaria no céu se eu tivesse sido uma adolescente nos dias de hoje.

E de onde você tirou inspiração para escrever “Amor & Gelato”, e agora “Amor & Sorte”?

Então, “Amor & Gelato”… eu fiz o ensino médio em Florença, na Itália. Eu fui para aquela escola que eles citam no livro e eu realmente não baseei nenhum dos personagens em alguém que eu conheci em particular. Mas eu tive algumas inspirações. Exceto uma personagem e… uma ideia! Eu tinha uma amiga que morava em um cemitério americano, bem perto de Florença. E ela praticava corrida, e ela corria por entre as lápides. E eu lembro de pensar “isso é um cenário tão legal para um livro”. Então eu carreguei essa ideia comigo por um bom tempo.

+ Gay, negro e periférico: Samuel Gomes fala sobre seu novo livro, “Guardei No Armário”

E falando agora de “Amor & Sorte”. Eu soube desde o início que eu queria escrever sobre a Addie. Ela simplesmente… na verdade eu acho que nada sobre escrever “Amor & Gelato” foi fácil para mim, com exceção da Addie. Ela só apareceu e ela foi tão fácil e divertida. E eu acho que ela tem meio que essa ousadia que eu sempre desejei ter – especialmente quando adolescente. Então eu sabia que queria escrever sobre ela e… é engraçado porque eu acho que a primeira inspiração veio porque… bom, eu costumava dirigir até a casa dos meus pais e tinha esse pequeno carrinho quebrado no meu caminho. E eu costumava pensar que deveria ter uma história. E meio que se tornou na história dela e do irmão dela. No começo eu ia narrar a história se passando nos Estados Unidos, foi meu editor que sugeriu Europa de novo. E imediatamente eu soube que eu queria que fosse na Irlanda. Eu amo a Irlanda! Isso foi divertido!

Você chegou a ir para a Irlanda para escrever o livro? Fazer uma pesquisa de campo?

Sim! Na verdade eu fiz a viagem de carro mais doida de todas para fazer essa pesquisa! Eu tinha acabado de ter um bebê e minha editora tinha acabado de fazer a sugestão “e se meninas no exterior for a sua praia?”. E logo que ele disse isso eu senti esses arrepios nos meus braços e eu fiquei tipo “sim, essa é a minha praia!”. Então eu tive que descobrir como eu ia conseguir ver o máximo possível da Irlanda, sem deixar meu bebê por muito tempo. Então eu pedi para a minha melhor amiga, eu liguei pra ela e falei “você quer ir para a Irlanda comigo na semana que vem?“. E ela ficou tipo “Ah… tabom!”. Nós fizemos uma viagem de carro e a gente teve 72 horas. Começamos na costa oeste e dirigimos para a costa leste. E foi tão… foi realmente rápido. Tipo, a gente pegava o nosso guia e ele dizia algo como “passe três dias na Península de Dingle” e eu ficava tipo “nós temos três horas! vamos ver tudo!”. Então foi bem parecido com a história mesmo, eu me diverti demais conhecendo a Irlanda. É muito mágico.

Você se inspirou na sua própria viagem para narrar a da Addie?

Sim! Especialmente nas partes que falam da mãe dela, que está tendo muitas dificuldades para dirigir e fica xingando o tempo todo. Aquela fui eu a viagem toda. Minha amiga teve que assumir porque eu tava sofrendo muito de ter que dirigir no lado oposto da estrada e ainda ter que ir imaginando a história. E a gente viu tudo que está no livro.

Vocês chegaram a ver o anel de fadas?

Sim! Os anéis de fada! Eu tenho que dizer que o anel de fadas do livro eu coloquei em um lugar diferente do que realmente é. Embora tenham vários. E uma leitora entrou em contato comigo e me disse que ela achou usando o meu livro e eu fiquei tipo “Oh!”. Acho então que tinha um no lugar que eu coloquei e isso meio que me deixa arrepiada. E no anel de fadas, eu não consegui chegar até o centro dele porque estava trancado. Mas era esse lugar verde, lindo e admirável, que junto da luz do sol entrando deixou tudo muito mágico. Foi lindo.

Outro destaque é o guia de viagem “Irlanda para corações partidos”. Como foi pra você escrever o guia?

Em “Amor & Gelato” eu tinha o diário da mãe como algo que fazia a história seguir em frente e eu gostei muito de escrever daquela maneira. Então eu basicamente inventei uma forma de fazer aquilo de novo. Porque é tão importante pra mim curtir e me divertir enquanto eu escrevo. E aí eu pensei “talvez eu devesse fazer algum guia ou algo do tipo pra transmitir algumas coisas mais sérias”, e aí eu achei essa voz divertida e eu pensei… na verdade eu gostaria de lembrar de onde é que veio a ideia do coração partido, mas tudo meio que apareceu pra mim. E eu sinto que esse estilo de escrita é muito verdadeiro e está totalmente em consonância com a minha própria voz, então foi muito fácil e divertido escrever essas partes. Muitas pessoas me perguntaram se era um livro de verdade! Eu até pensei se eu não devesse escrever um pouco mais e publicar.

+ Conectadas: conheça o livro de Clara Alves que mostra as dificuldades de entender a sexualidade

Qual foi a cena que você mais gostou de escrever?

Eu acho que a cena da cerimônia da rainha Maeve. Eles chegaram no festival e os amigos dela estão construindo, engrandecendo ela, certo? E aí uma das primeiras coisas que eu escrevi dessa cena no livro foi quando a Lina está falando sobre como a Addie estava lá pra ela quando sua mãe estava morrendo. E como foi pra Addie quando ela recebeu a ligação e correu descalça pelo hospital e as enfermeiras estavam tentando pará-la. Quando eu escrevi isso eu estava chorando tanto!

Eu estava, na verdade, pensando em uma amiga minha que perdeu a mãe e em como eu me senti desamparada. Sobre o quanto eu queria ajudá-la e às vezes querendo com que ela ficasse sabendo que eu iria chegar até ela o mais rápido possível. Essa foi a cena que eu mais gostei.

E qual foi a cena mais difícil pra você escrever?

Honestamente, muito desse livro foi difícil de escrever. Eu tive muita dificuldade de descobrir como encerrar a história. Basicamente, quando o carro quebra e eles ficam meio que encalhados. Bem na parte em que o segredo da Addie vem à tona, eu tive dificuldade de entender como eu iria entregar e explicar o que tinha acontecido com ela.

Sobre a personalidade da Addie. Eu simplesmente a amo então eu queria saber o que você mais gosta nela?

Eu amo o quanto ela é ousada e eu amo o quão leal ela é. Eu acho que lealdade era a principal característica que eu queria que ela tivesse. Ela é alguém que faria qualquer coisa pelas pessoas que ela ama. E para alguém como ela, que é tão leal, o fato de ter sido traída foi terrível demais. Então eu acho que o que eu mais amo nela é a lealdade dela e o comprometimento dela com os amigos e irmãos.

Harry Potter: 7 diferenças entre os filmes e os livros

O Rowan também é um personagem incrível. E ver ele, Addie e Ian interagindo é incrível. Como foi pra você escrever essas cenas?

Eu amei escrever as cenas dos três juntos, eu amei o Rowan. Eu tinha a intenção de não tornar ele o cavaleiro da armadura reluzente para resgatar ela [Addie]. Eu acho que, você sabe… muitas pessoas acharam que ia ser muito parecido com o primeiro livro [“Amor & Gelato”] e que teria um grande romance. E eu queria que houvesse uma possibilidade de tudo isso, mas eu realmente queria que a Addie salvasse a si mesma. Sabe? Para ela perceber sua própria força interna. Então eu senti o Rowan como um bônus muito divertido. Alguém que a gente gostaria de passar tempo junto, né? Eu me diverti muito escrevendo sobre eles.

E de onde veio a ideia para a rainha Maeve? Como você entrou em contato com ela?

Antes de eu ir para a minha viagem, um amigo de um amigo, que tinha passado um tempo na Irlanda, sentou comigo e ele estava me falando sobre todos os lugares que ele mais tinha amado – a maioria deles eu nem cheguei a ir porque eles eram mais ao norte da Irlanda. E ele me falou sobre a tumba da rainha Maeve. E eu lembro de achar aquilo tão interessante! E aí quanto mais eu eu comecei a pesquisar, mais eu conseguia ver quanto ela tinha a ver com a minha personagem. Com essa veracidade e eu amo essa personagem feminina forte irlandesa e eu realmente queria deixar ela lá o máximo possível.

Como foi pra você entrar em contato com a Lina e com o Ren de novo em “Amor & Sorte”?

Foi muito legal e foi divertido eles serem mais secundários. Eu lembro de ter realmente sentido que eu tinha dito adeus à eles, quando eu acabei de escrever “Amor & Gelato”. E eu fiquei “Ok, aí vão eles! Espero que as pessoas gostem de vocês!”. Então foi legal vê-los por um momento. Eu não senti que eles eram totalmente imprescindíveis para a história enquanto eu estava escrevendo. Então eu não sei, foi tipo uma coisa muito engraçada ver como o meu foco estava em outro lugar.

Eu não consigo contar a quantidade de e-mails que eu recebi perguntando se eu ia escrever sobre eles novamente. Então eu fiquei “espero que essa aparição tenha sido suficiente”.

E qual é o seu maior objetivo com as suas histórias? O que você quer que as pessoas sintam enquanto elas leem seus livros?

Ok… essa pode ser uma metáfora engraçada. Mas é realmente o que eu penso. Eu quero que os meus livros tenham gosto de cupcake, ou seja, eu quero que eles sejam doces e divertidos e tão deliciosos que você só quer devorá-los. Mas eu também quero que eles tenham os nutrientes necessários, sabe? Então o que eu quero dizer com isso é que eu quero algo que, talvez, você curta e goste demais, mas que você também saia com algo importante.

Eu realmente me sinto honrada de estar escrevendo para adolescentes e eu levo muito a sério. Eu quero dizer a eles coisas que eu gostaria de ter ouvido na idade deles e eu quero explorar assuntos que são importantes para eles. Eu me importo muito em explorar dinâmicas familiares e eu acho que, especialmente nessa idade, em que os meus personagens têm entre 16 e 17 anos, é quando os jovens estão começando a tentar entender quem eles querem ser. E perceber que eles têm o controle de suas próprias vidas. E eu acho que isso é um momento tão importante para as pessoas, então eu quero minhas histórias sejam divertidas e quero que eles saiam dela levando algo que possa ajudá-los.

+ Exclusiva: em novo livro, Thalita Rebouças conta a história de sua vida: “Perdi a timidez”

Se você pudesse dar um conselho para alguém que está de coração partido, o que você diria?

Essa é uma pergunta ótima! Eu acho que a última entrada do último capítulo de “Amor & Sorte” é realmente o meu conselho. Resumindo ele, basicamente, nós somos feitos para termos os nossos corações partidos. E eu não quero soar piegas ou clichê, mas vale a pena se arriscar para amar e ser amado. Vale a pena tentar se conectar com as pessoas e a gente vai se machucar, mas a outra opção é nunca se abrir. E isso, ao meu ver, é mais dolorido. E eu acho que cada uma dessas dores vão moldar você para que se torne quem você quer ser.

Você gostaria de ver seus filmes nas telonas?

Sim! Eu só estou dizendo sim para essa pergunta para que o universo saiba que eu estou preparada. Estou preparada! Eu acho que seria tão legal e divertido, e só de pensar em ver minhas personagens e assisti-las, me dá arrepios todas as vezes que eu penso nisso! Eu acho que eles fariam séries ou filmes muito legais!

E, sobre o futuro! Você já tem mais coisas vindo por aí? Quais são os seus planos?

Eu até estou com o meu quadro aqui exposto porque eu estou divulgando isso bastante aqui [nos Estados Unidos]. “Love & Olives” [o 3º livro da série “Love And”, ainda sem nome em português] vai ser lançado no mês que vem nos EUA e é o terceiro e final livro da trilogia. E acabou de ser comprado no Brasil! Então… eu ainda não tenho nenhuma data oficial acho que eu ainda terei mais informação, mas imagino que talvez daqui um ano ele esteja disponível aí. E vai ser incrível.

Além disso, eu estou trabalhando em algo fora da trilogia “Love And” e é um livro único. Ou pelo eu acho que é um livro único. Eu achei que “Amor & Gelato” ia ser um livro único também, então quem sabe. Mas é bem diferente desses três últimos livros e eu estou me divertindo muito escrevendo.

Quer deixar um recadinho para os seus fãs brasileiros?

Eu amo meus fãs brasileiros! Eu amo o entusiasmo deles! Eu fico tão animada com a ideia de todos esses leitores em um lugar que eu nunca tive a oportunidade de ir. Espero que eu possa visitar algum dia!


Os livros Amor & Gelato e Amor & Sorte podem ser adquiridos na Amazon e no site oficial da Intrínseca.

Comportamento

Exclusiva: após viralizar no TikTok, Gustavo Foganoli fala sobre vida pessoal

Published

on

Reprodução / Instagram

Se você tem uma conta no TikTok, provavelmente já viu o icônico Gustavo Foganoli dublando e dançando uma música de Mc Livinho. O vídeo fez um sucesso absurdo e conta com mais de 12 milhões de visualizações no aplicativo.

Por isso, a todateen bateu um papo com Gustavo para saber melhor quem é ele e de onde surgiu a ideia de ter um tiktok.

++ Treta entre tiktokers brasileiros: entenda a confusão de Mario Junior, Karyna e Aninha

Ele contou que tem 20 anos, mora em Balneário Camboriú, em Santa Catarina e, inicialmente, criou o TikTok só para passar o tempo. “Virou uma febre e todo mundo estava falando sobre, então eu decidi baixar pra ver como era. Comecei a gravar, com a intenção de realmente produzir conteúdo, após ser dispensado do meu antigo trabalho, e um mês depois eu atingi 400mil seguidores na plataforma“, relembra.

primeiro vídeo de sucesso

Mas para quem só foi conhecer Gustavo agora, vale lembrar que esse não é seu primeiro vídeo de sucesso. “Fiz um vídeo assoprando o rosto da minha cachorrinha e viralizou (está com mais de 13M de views). E foi a partir daí que meus vídeos começaram a ter bastante visualizações. Eu realmente não esperava“.

@foganolireclamando KKKKKKKK #dog #puppy #fy #fyp #foryou #viral #fybrasil #tiktokbrasil

♬ original sound – Gustavo Foganoli

E é claro que tantas visualizações trouxeram para Gustavo um certo reconhecimento. “Hoje em dia é difícil eu sair de casa, ir no shopping ou em algum restaurante e não ser reconhecido“, explica ele. “Eu acho isso tudo muito legal. Muitas pessoas já me pararam na rua e disseram que admiram meu trabalho, gostam demais dos meus vídeos e são muito minha fãs“.

++ Estrela do Tiktok, Tony Lopez está sendo acusado de abuso sexual; entenda

O influencer conta que, apesar disso tudo ser recente, já que ele só investiu na produção de conteúdo no final de 2020, ele ainda está se acostumando. “Mas eu realmente gosto muito quando me reconhecem em algum lugar, isso demonstra que meu trabalho tem dado certo!“, afirma ele.

a relação com a mãe

O famoso vídeo dublando Livinho se destacou por três fatores: Gustavo dançando, a visita rindo e a mãe do tiktoker correndo atrás dele com o chinelo. E, embora no vídeo ela tenha parecido brava, ele garante que ela se diverte nas gravações.

Minha mãe super entende que sou produtor de conteúdo e ela adora me ver fazendo isso. Na hora [do vídeo] ela ficou um pouco brava mas depois que viu que eu estava gravando achou super engraçado!“, conta.

a inspiração

Gustavo costuma postar todos os dias no TikTok e é claro que isso exige muita criatividade, então, ele contou pra gente da onde vem a inspiração para tanto conteúdo: “Algumas ideias são originais, como meus vídeos de storytelling, em que eu conto histórias engraçadas que aconteceram na minha vida, e os de culinária no quadro #fogachef. Porém eu também tenho muitas inspirações gringas e até brasileiras para a produção do meu conteúdo”.

++ Jeffree Star comenta boatos de affair com Kanye West: “Alguma garota inventou uma mentira no TikTok e viralizou”

dica para quem quer seguir esse caminho

O Tiktok cresce a cada dia e é natural que os jovens queiram fazer parte dessa rede, se destacando e ganhando seguidores. A dica que Gustavo dá pra isso é simples: seja original.

Tenha algo a mostrar que vá fazer as pessoas se lembrarem de você. Isso não significa que 100% do seu conteúdo tenha que ser original, mas ter a sua própria imagem é muito importante. Acompanhe as trends e criadores que te inspiram e monte o seu conteúdo!“. Outra dica importante que ele dá é ser presente na rede e não desistir.

O sucesso não vem do nada, tenho amigos que estão a mais de 5 anos produzindo conteúdo e começaram a bombar agora“, conta. “Também não tenha medo ou vergonha de aparecer na frente da câmera, comece fazendo alguns vídeos que você ache legal e poste, nem que seja apenas para seus amigos verem”.

Por fim, ele fala sobre a importância de saber ouvir críticas construtivas e destaca: “Saiba diferenciar pessoas que querem te arrastar pra baixo daquelas que realmente querem te ver no topo! ”

Continue Reading

Comportamento

O que você precisa saber antes de assistir “Fate: A Saga Winx”

Published

on

O que você precisa saber antes de assistir "Fate: A Saga Winx"
Divulgação/Netflix

Com o lançamento de Fate: A Saga Winx, a Netflix nos convida a adentrar no universo mágico de Alfea mais uma vez. Nesta sexta-feira (22), o catálogo do streaming acaba de receber a série live-action inspirada na animação italiana O Clube das Winx, que marcou a infância de muitos.

Mas, diferente do desenho animado bem colorido criado por Iginio Straffi, o seriado conta com uma nova atmosfera. Por isso, para quem busca ficar por dentro de como a adaptação foi realizada antes mesmo de dar o play, nós separamos algumas questões sem spoilers para você começar sua maratona mais informada!

O que você precisa saber antes de assistir "Fate: A Saga Winx"

Divulgação/Netflix

Assim como já mencionamos, a proposta de Fate: A Saga Winx é bem distinta da de O Clube das Winx. É importante avisar isso logo no início, para você não criar expectativas de encontrar o mundo mágico que já conhecíamos na animação – aquele que era abarrotado de cores, brilho e com as fadas voando com suas asas por aí.

Na série da Netflix, encontramos uma vibe marcada pelo suspense, que explora os mistérios do mundo mágico e dramas familiares não resolvidos no passado que agora chegam à tona. Diferente da ideia de fadas que tínhamos no desenho animado, agora encontramos um universo que busca referência das fadas do folclore do nosso mundo.

O que você precisa saber antes de assistir "Fate: A Saga Winx"

Divulgação/Netflix

Para o showrunner e produtor executivo da série, o Brian Young, isso foi feito com o intuito de manter a essência que a animação trazia, mas também trazer uma identidade própria para a série. Porém, vale ressaltar que Brian já trabalhou em The Vampire Diaries, o que explica outra questão que também é explorada neste live-action: os clichês adolescentes! 

Apesar de Fate: A Saga Winx se passar em um mundo longe dos humanos, intitulado Outro Mundo, as protagonistas ainda sim vivem aqueles clássicos dilemas da adolescência. Assim, ao mesmo tempo em que a produção mostra os estudantes do internato mágico Alfea desvendando os enigmas causados pelas criaturas mágicas, também vemos os personagens usando muito o Instagram e curtindo festas.

É uma mistura de suspense com aquele lado adolescente que a gente tanto gosta!

O que você precisa saber antes de assistir "Fate: A Saga Winx"

Divulgação/Netflix

A série apresenta seis episódios, com duração média de 50 minutos, e contou com uma produção que foi realizada na Irlanda – o que garante cenários de tirar o fôlego a cada capítulo! E em meio à esse ambiente, quem protagoniza a história como Bloom é Abigail Cowen, conhecida por interpretar Dorcas em O Mundo Sombrio de Sabrina

Entre o elenco das principais fadas da trama temos Hannah van der Westhuysen (Grantchester) como Stella, Precious Mustapha (Endeavour) como Aisha, Eliot Salt (Normal People) como Terra e Elisha Applebaum (Undercover Hooligan) como Musa. Veja só uma imagem do grupo: 

O que você precisa saber antes de assistir "Fate: A Saga Winx"

Divulgação/Netflix

O elenco ainda conta com Sadie Soverall como Beatrix (Rose Interpreta Julie), Freddie Thorp como Riven (A Descoberta das Bruxas, Safe), Danny Griffin como Sky (So Awkward), Theo Graham como Dane (Hollyoaks) e Jacob Dudman como Sam (Não Fale com Estranhos). Eve Best (Enfermeira Jackie), Robert James-Collier (Downton Abbey), Josh Cowdery (Animais Fantásticos e Onde Habitam), Alex Macqueen (The Thick of It) e Eva Birthistle (O Último Reino).

Ficou com vontade de assistir Fate: A Saga Winx? Confira o trailer oficial da produção abaixo:

Continue Reading

Comportamento

Cadernos e cadernetas: 6 opções super fofas para usar no dia a dia

Published

on

Reprodução/Amazon

Se você também adora ter tudo anotado, está no lugar certo! Preparamos uma lista com várias opções de cadernos e cadernetas com estampas super fofas para você dar uma olhada:

1. Caderno Espiral Capa Dura, 80 Folhas,Tilibra 

Reprodução/Amazon

2. Caderno de Anotação Special Series, World Map 

Reprodução/Amazon

3. Caderneta Meu Pequeno Cicero Jardins 

Reprodução/Amazon

4. Caderno de Anotação Special Series, Moon Maxprint 

Reprodução/Amazon

5. Caderno Argolado Cartonado Universitário com Elástico, 80 Folhas, Tilibra 

Reprodução/Amazon

6. Caderno Argolado Cartonado Colegial, 80 Folhas, Tilibra, West Village

Reprodução/Amazon

 

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com o site da Amazon. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a TodaTeen pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/3a1r1fa

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3d11kxr

Continue Reading
Advertisement
Combinação de Nomes

Todos os nomes possuem significados e juntos formam uma combinação única!

Digite nos campos abaixo e descubra nos mínimos detalhes.

 
Combinação de Signos

Confira a combinação de signos para todos do zodíaco

Descubra quais signos combinam no amor, sexo, trabalho e amizade. Faça quantas combinações desejar e compartilhe!

Mais Lidos

Copyright © 2020 - Website produzido por Perfil.com Ltda. Uma parceria de conteúdo Perfil Brasil e Editora Alto Astral. Este site é parceiro do UOL Entretenimento.