Connect with us

Entretenimento

K-Pop na tt: Gaby Brandalise fala sobre a importância da coreografia no K-Pop!

Já parou pra pensar em como seria o K-Pop sem todas as coreografias incríveis?

Published

on

Gaby Brandalise Kpopper e escritora do livro "Pule, Kim Joo So" fala da coreografia no K-pop

K-Pop é, sim, um conjunto de coisas maravilhosas: danças, figurinos, cenários, músicas contagiantes. Mas já parou para pensar na real importância das coreografias no K-Pop? A escritora de “Pule, Kim Joo So” e Kpopper Gaby Brandalise dividiu o que pensa desse assunto com a gente. Confira!

Grupo de K-Pop dançando coreografias perfeitas

Giphy

Adele é uma das vozes mais reconhecidas no mundo. Ouvi-la é certamente um privilégio. Tanto que no palco, normalmente, não há muita coisa acompanhando a cantora, apenas um microfone, uma banda ou somente um piano. Porque toda a performance dá zoom no timbre e na capacidade vocal da diva. O irônico é pensar que se Adele fosse coreana e fizesse performances assim na indústria do K-Pop, se não considerarmos o padrão de beleza coreano, mas apenas a carga artística, talvez não fosse um sucesso absoluto. Por quê? Em partes, porque Adele não dança.

O K-Pop é um grande espetáculo em que é possível afirmar que a coreografia é um dos aspectos que tornam a experiência para os fãs em um debut ou em um comeback tão incrível. Não é anormal você ouvir pessoas que curtem o estilo contarem que, quando só ouviam música brasileira ou norte-americana, não prestavam tanta atenção assim, pelo menos não com um olhar tão refinado, quando seus artistas preferidos executavam passos no palco.

O jeito coreano de fazer música muda essa perspectiva porque o que é vendido é muito mais do que um álbum novo com faixas inéditas. É um pacote, em que você ouve, vê e sente. Assim, uma das coisas que mais geram expectativa quando as pessoas estão aguardando por um comeback ou por um debut é saber como será a coreografia. Tanto que no caso de singles mais calmos, em que não há dança, a produção é mais carregada nos cenários das lives para manter a atenção dos fãs.

Girlgroup de K-Pop

Giphy

Claro que se a música for boa, ajuda muito, mas, no geral, é a performance completa, com toda a movimentação no palco ou no MV, que faz o K-Pop ser o que é. Nos raros casos em que apenas a música foi lançada, a sensação é de que o trabalho está incompleto, como aconteceu recentemente com o álbum póstumo de Jonghyun, membro do SHINee que morreu em dezembro de 2017. O single foi muito bem recebido. E, com certeza, não houve um fã que não ficou triste e curioso pensando em como seria a performance de Shinin’.

Talvez por ser esse pacote completo, de vocal, dança e visual, é que os fãs consigam acompanhar os comebacks sem se cansarem, já que o processo é um tanto repetitivo. Neles, o público irá ver o grupo ou o solista apresentar a mesma performance inúmeras vezes em várias emissoras coreanas e premiações, até a exaustão. Muito pouco muda de uma para a outra. Ainda assim, cada uma delas é muito esperada. Talvez, se fosse sempre um artista cantando acompanhado apenas de um look clássico e de um piano, como Adele faz, por exemplo, a coisa seria diferente.

O K-Pop tem um tipo de apresentação que traz estímulos sensoriais e visuais que o canto, sozinho, não pode entregar. Quando o EXO estreou, antes mesmo de qualquer lançamento oficial, foram divulgados 23 teasers, sendo sete deles solos do membro mais novo, Kai, um dos dançarinos mais fortes do grupo. E em outros cinco, ele dividia o espaço com os outros membros. O que quer dizer que Kai estava em mais da metade dos teasers liberados antes mesmo de o público saber os nomes de boa parte dos integrantes. Definitivamente, ele era um destaque.

Giphy

Outro exemplo é o BTS, um grupo que virou um hit não porque as vozes juntas funcionem como um coral, mas porque os sete membros conseguem entregar performances marcantes, cheias de carisma e com uma sincronia perfeita na dança. E aqui, podemos citar Jungkook e Jimin como dois dos membros mais populares, não coincidentemente conhecidos por serem bons dançarinos.

Outra explicação está no poder das coreografias em valorizar um trabalho em um meio saturado como o da música. Uma dança cativante pode fazer com que as pessoas retenham melhor um bom single, como aconteceu com Move, de Taemin. Os passos minimalistas e muito intensos viralizaram nas redes sociais, o que deu mais força ainda para a música de comeback do artista.

Talvez se Adele estivesse no K-Pop, seria uma cantora muito respeitada, mas que não receberia tanta atenção como seus colegas mais performáticos. Isso porque o K-Pop ama coreografia, imagem e conceito. Uma voz excelente, às vezes, não é o mais importante no meio do espetáculo.

E aí, girl, concorda com a Gaby Brandalise sobre a importância da dança no K-Pop?

Entretenimento

Olivia Rodrigo alcança topo da Billboard Hot 100 com o single de estreia “Drivers License”

Published

on

Olivia Rodrigo alcança topo da Billboard Hot 100 com o single de estreia "Drivers License"
Reprodução/Instagram

Poderosa demais! Depois de receber elogios de Taylor Swift e Niall HoranOlivia Rodrigo acaba de alcançar um marco incrível na sua carreira como cantora. Nesta terça-feira (19), seu single de estreia drivers license chegou ao topo da parada Billboard Hot 100.

A estrela de apenas 17 anos conhecida por protagonizar High School Musical: A Série: O Musical ainda se tornou a artista mais nova a liderar o Hot 100. Mas o sucesso de Olivia já era esperado!

No YouTube, o clipe do hit já conta com mais de 46 milhões de visualizações. Já no Spotify, a cantora quebrou o recorde de música mais ouvida em 24 horas com mais de 17 milhões de streams. A plataforma de streaming musical ainda afirmou que nunca viu nada parecido.

Relembre o videoclipe da canção:

Continue Reading

Entretenimento

“Euphoria”: segunda parte do episódio especial ganha trailer; confira

Published

on

Divulgação

A HBO já havia prometido o lançamento de dois episódios especiais de Euphoria antes da chegada da 2ª temporada. O primeiro deles estreou no começo de dezembro e teve como foco a personagem de Zendaya. Agora, nesta terça-feira (19), divulgaram o trailer do segundo episódio, que estreia na próxima sexta-feira (22).

Confira:

O primeiro episódio foi responsável por dar foco à personagem Rue, interpretada por Zendaya. Intitulado “Part One: Rue”, teve foco em mostrar o que aconteceu pós primeira temporada com foco na personagem vivendo a época do Natal. Parece que repetirão a fórmula com Jules, né? Lembrando que a segunda temporada começará a ser filmada apenas em 2021.

Continue Reading

Entretenimento

Série francesa da Netflix deve superar audiência de “Bridgerton”; conheça “Lupin”

Published

on

Reprodução / Netflix

Parece que a Netflix começou o ano acertando mais uma vez em uma produção. A série francesa “Lupin“, que estreou dia 8 de janeiro, já se tornou uma das favoritas do público e tudo indica que ela pode passar a audiência de “Bridgerton” e “O Gambito da Rainha”.

De acordo com o Deadline, “Lupin” provavelmente vai alcançar  70 milhões de usuários em seus primeiros 28 dias na plataforma, feito que desbanca “Bridgertons”, que tem uma audiência projetada de “apenas” 63 milhões.

A série traz a vida de Assane Diop, dividida entre o presente e a adolescência. Após seu pai morrer por ser acusado de um crime que não cometeu, sua vida dá uma guinada radical. Vinte e cinco anos depois, Assane se inspira em “Arsène Lupin, o Ladrão de Casaca” para vingá-lo.

Confira o trailer:

 

Continue Reading
Advertisement
Combinação de Nomes

Todos os nomes possuem significados e juntos formam uma combinação única!

Digite nos campos abaixo e descubra nos mínimos detalhes.

 
Combinação de Signos

Confira a combinação de signos para todos do zodíaco

Descubra quais signos combinam no amor, sexo, trabalho e amizade. Faça quantas combinações desejar e compartilhe!

Mais Lidos

Copyright © 2020 - Website produzido por Perfil.com Ltda. Uma parceria de conteúdo Perfil Brasil e Editora Alto Astral. Este site é parceiro do UOL Entretenimento.