Connect with us

Comportamento

Objetificação feminina: os estereótipos da mulher ainda estão em cartaz nos cinemas e Instagram

Published

on

Recentemente a expressão “objetificação da mulher” começou a ser mencionada em diversos posts quando internautas brasileiros, em sua maioria mulheres, começaram a questionar o conteúdo do Instagram de Dan Bilzerian. O famoso empresário e jogador de pôquer com uma jornada ao título de milionário polêmica possui diversos cliques com modelos padrão, as quais são retratadas sempre em grande quantidade ao lado dele, em poses que podem ser consideradas desconfortáveis.

Séries e filmes para entender (de verdade) o feminismo
Relacionamento tóxico ou abusivo: como reconhecer?
10 mulheres empoderadas para agitar sua timeline

Homens e mulheres começaram a falar sobre o assunto nas redes, mas enquanto boa parte das pessoas fazia campanha para que o influencer perdesse seguidores, alguns internautas questionaram a contribuição de Bilzerian para o que vinha sendo chamado de “objetificação” da figura feminina.

Mas afinal, o que é isso?

estereótipos: o mal da sociedade

De acordo com a psicóloga Talitha Nobre, psicanalista membro do corpo freudiano do Rio de Janeiro e coordenadora do centro de apoio à família no grupo Prontobaby, a maneira mais resumida de se explicar o conceito de estereótipos é entender que são rótulos. “Uma maneira de generalizar um determinado grupo a partir de algumas características, com objetivo de moldar padrões sociais. Essa construção, normalmente ligada à cultura e sociedade, está no senso comum, no inconsciente coletivo”.

Mas por que “rotulamos” tanto as pessoas? A Dra. Nobre também explica: “Padronizar é uma forma de obter respostas. Nós, seres humanos, temos a necessidade de padronizar aquilo que é desconhecido. Isso traz um certo conforto, de não precisar lidar com o diferente. Por isso, criamos rótulos e procuramos inconscientemente nos encaixar em algum padrão. Em uma sociedade como a nossa, sustentar a singularidade é uma missão muito difícil”.

o que Bilzerian tem a ver com isso?

A Dra. Nobre afirma ainda que os estereótipos diminuem a subjetividade do indivíduo, já que o reduzem a padrões. Entre os mais comuns relacionados às mulheres estão o da beleza padrão, bem como a objetificação diante do homem. “Esta é uma questão social que se arrasta ao longo de toda a história da sociedade, desde o modelo patriarcal, onde a mulher assumia o lugar de submissão, feita para procriar e atender as necessidades do marido. Hoje, corpos femininos são explorados na mídia para vender algum produto masculino. A mulher sempre assumindo no imaginário masculino um lugar de submissão”.

Sobre a dificuldade de muitos usuários em refletir sobre a problemática do perfil de Bilzerian, a Dra. Nobre afirma: “Ali claramente podemos ver a banalização da mulher, reduzida aos atributos físicos. Muitas mulheres hipersensualizadas simultaneamente com um homem. Essa banalização da mulher está tão naturalizada na sociedade que já estamos com olhar viciado e não paramos para questionar”.

Entretanto, não são apenas perfis de redes sociais que se mostram nocivos para o significado que é ser mulher. “A construção do feminino é feito de maneira inconsciente desde o nascimento da mulher. Existe, ainda, uma influência do modelo patriarcal, da repressão da mulher e da submissão ao homem. Durante a adolescência, por exemplo, as produções de entretenimento assumem um papel fundamental porque essa é uma fase de construção identitária, onde os adolescentes são fortemente influenciáveis. Uma fase propícia para a adoção de novos comportamentos e atitudes. Logo, o que está sendo consumido, tem um valor na construção dessa adolescente e da sua feminilidade”.

a figura feminina no entretenimento

Você já ouviu falar no “Teste de Bechdel”? O jogo foi inspirado na tirinha publicada em 1985 com o título “Dykes To Watch Out For”, da cartunista Alison Bechdel. Assim como na história, é proposto um exercício, basta pensar em um filme que obedeça à três requisitos: 1) ter duas mulheres; 2) que conversem entre si; 3) sobre algo que não seja um homem.

Pode parecer algo simples, mas os critérios de seleção mostram como diversos produções da indústria resumem a figura feminina à conquista ou disputa de um interesse amoroso, mas, quando o protagonismo é masculino as opções se tornam mais amplas.

Faça o teste você também, mas dessa vez com as produções adolescentes populares no entretenimento. Mesmo que opções empoderadas venham à sua mente, uma realidade ainda mais dura ganha espaço: principalmente no conteúdo teen, ainda que um filme ou série passe pelo teste de Bechdel, os estereótipos ainda estão ali na maioria das vezes.

Afinal, a Mulher-Maravilha só venceu o mal por meio do amor de Steve Trevor, e a poderosa Capitã Marvel é uma mulher que representa diversos padrões estéticos, mesmo que não tenha um interesse romântico. Difícil ser girl power, não é mesmo?

Cartum “Dykes To Watch Out For”, de Alison Bechdel, 1985.

A todateen conversou com a cineasta Day Rodrigues, que também é pesquisadora, escritora, educadora e produtora cultural, responsável pelo premiado episódio “Racismo e resistência” da série “Quebrando o Tabu” para o canal GNT, bem como o curta-metragem “Mulheres Negras – Projetos de Mundo” , o qual possui em seu elenco nomes como ninguém menos que Djamila Ribeiro.

Rodrigues explica com mais detalhes sobre os estereótipos no entretenimento adolescente. “As personagens são sempre muito superficiais e chapadas: a menina nerd; a que representa o padrão de beleza – a patricinha -; ou ainda uma que seja fora do padrão simplesmente porque usa aparelho no dente ou porque é gorda. Pensando também nos meninos, normalmente são os valentões ou alguém muito inteligente. Assim como acontece no conteúdo adulto, a gente respinga a superficialidade nos adolescentes com esses ‘tipos’ de personagem”.

A cineasta frisa a falha nessas produções em incluir representatividade: “Geralmente nas produções para adolescentes há apenas um único personagem negro na sala, em uma tentativa de que não se apague as pessoas negras, mas mais uma vez, reproduzindo uma generalização do estereótipo do que é ser um jovem negro”.

O questionamento da representação das mulheres negras é um exercício necessário, já que para este grupo o estereótipo da objetificação feminina se torna ainda mais frequente. “Pensando em mulheres negras, o estereótipo mais comum é a objetificação, sendo representadas sempre pelo corpo, como se elas tivessem que ser boas de cama, no samba, sem profundidade para serem grandes intelectuais, cineastas ou presidentes de uma empresa”.

Outro grupo feminino com estereótipo nocivo é o das mulheres amarelas. “Há uma construção também da mulher asiática, como a gueixa, a boneca sexualizada e subordinada ao homem. A fetichização da mulher amarela como objeto de desejo”, pontua a Dra. Nobre.

Segundo Day Rodrigues, os estereótipos são um obstáculo prejudicial à luta feminina por liberdade. “A gente acaba não combatendo a violência contra as mulheres”, conta a cineasta.“A partir do momento que estes personagens não possuem uma subjetividade profunda, não tem sua intelectualidade reforçada, pelo contrário, são tratadas como se fossem objetos sexuais ou para servir uma figura masculina, não podendo exercitar sua liberdade, isso é negativo; pois, são imaginários neocoloniais, que refletem diretamente a sociedade como lugar de quem compactua com a opressão secular existente, basta olharmos as estatísticas dos mapas das violências”.

Objetificação feminina: os estereótipos da mulher ainda estão em cartaz nos cinemas e Instagram

“Se a gente tem uma sociedade que não consegue se ver para além dos estereótipos, naturalizamos uma série de violências. Como se as mulheres não pudessem exercitar um tom crítico, seja em relação ao machismo que vem de forma simbólica, seja pelos abusos sexuais, estupros, opressão e diminuição da sua capacidade de fazer escolhas e construir seu próprio caminho, pessoal, profissional ou familiar. É como se ela estivesse sempre atrelada aos valores dos outros, falta independência – política inclusive – para ter o poder de fazer suas escolhas”, completa.

como mudar?

“Não vejo outro caminho senão a educação para desconstruir esse cenário. É difícil porque muitas vezes as mensagens são subliminares”, responde a Dra. Nobre. “Políticas públicas e engajamento social, como a lei Maria da Penha, também tem sido pilares fundamentais para uma mudança na sociedade. Mas essa mudança pode também ser feita a partir de cada um de nós, de espaços como esse, provocando reflexão. É um longo, porém importante caminho”.

Em relação ao entretenimento, Rodrigues reforça a necessidade de se construir equipes ricas em pluralidade. “É importante que haja uma equipe diversa, com a presença de pelo menos metade de pessoas negras, de pessoas pertencentes à comunidade LGBTQIA+, de lugares distintos, não só do centro da capital, mas também do nordeste, norte, sul. Uma equipe nestes moldes permite que o conteúdo audiovisual tenha uma pluralidade do que é a sociedade brasileira, não fique preso só em um lugar criado pelos homens brancos, ricos e cis. Se uma equipe for composta por diferentes grupos sociais, o roteiro é construído sob outras perspectivas”.

“Também penso que é importante que essas equipes passem por processos de formação, para entender mesmo o que são esses discursos racistas, machistas, misóginos e LGBTQIA+ fóbicos, possibilitando que a gente construa narrativas diversas”, finaliza.

Essa realidade plural não é algo tão distante!  Viviane Ferreira, Flávia Cavalcanti, Juliana Vicente, Glenda Nicácio, Renata Martins, Joyce Prado e Grace Passô são algumas das cineastas recomendadas pela diretora. E não deixe de assistir o curta “Mulheres Negras: Projetos De Mundo”, produção de Day Rodrigues disponível online na Spcine Play.

Comportamento

10 filmes incríveis para assistir com o seu pai

Bora fazer uma sessão cinema no Dia dos Pais?!

Published

on

10 filmes incríveis para assistir com o seu pai
Divulgação/Disney

O Dia dos Pais está chegando, e nada mais justo do que você passar o dia ao lado do seu pai, né?! Se vocês curtem fazer uma sessão cinema em casa, vai adorar as nossas sugestões de longas para ver nessa data especial!

Fizemos uma lista incrível de filmes para assistir com seu pai, confira abaixo!

20 frases que todo pai fala (ou ainda vai falar)
Presentes criativos que você pode fazer para o Dia dos Pais
Teste: de qual tipo de filme seu pai saiu?

tão forte tão perto

Um menino de 9 anos perde seu pai no atentado de 11 de setembro em Nova York. Ele acha uma chave em sua casa e acredita ser uma mensagem de seu pai. Assim começa uma comovente aventura pela cidade para achar a fechadura que se abre com a chave.

de repente pai

David Wozniak descobre que as doações anônimas que fez para uma clínica de fertilização há 20 anos resultaram em 533 filhos. Ele passa a enfrentar problemas quando dezenas dessas crianças, já crescidas, passam a sentir a enorme necessidade de conhecer o pai biológico.

gigantes de aço

Em um futuro próximo, as máquinas substituem os homens no ringue. As lutas de boxe, nesse contexto, acontecem entre robôs de alta tecnologia. Charlie, um ex-lutador frustrado, não consegue se adaptar. Quando tudo parece perdido, ele se une ao filho para construir um competidor imbatível.

juno

A adolescente Juno MacGuff engravida do melhor amigo, decide ter o bebê e o entrega para adoção. Então, ela escolhe um roqueiro fracassado e sua mulher dedicada para serem os pais adotivos da criança.

os descendentes

Matt King é um chefe de família cuja mulher acaba de entrar em coma. No meio desta trágica situação, Matt é forçado a lidar com o próprio passado, assim como o da esposa e da filha mais velha, e aceitar a quebra de importantes conceitos.

intocáveis

Um milionário tetraplégico contrata um homem da periferia para ser o seu acompanhante, apesar de sua aparente falta de preparo. No entanto, a relação que antes era profissional cresce e vira uma amizade que mudará a vida dos dois.

os incríveis

Não poderia faltar uma animação nessa lista, né?! A história desse filme a gente já conhece, mas rever as aventuras dessa família superpoderosa pode ser mega divertido!

à procura da felicidade

Chris Gardner enfrenta uma vida difícil. Despejado de seu apartamento, este pai solteiro e seu filho não têm onde morar. Chris consegue um estágio não remunerado em uma firma de prestígio. Sem dinheiro, os dois são obrigados a viver em abrigos, mas Chris está determinado a criar um vida melhor para ele e seu filho.

uma família de dois

A vida de um homem muda completamente quando um bebê, que seria sua filha, é deixado sob sua responsabilidade. Incapaz de criá-la sozinho, ele vai até Londres à procura da mãe da criança, mas não a encontra. Anos depois, a mulher retorna e quer recuperar a guarda da filha.

peixe grande e suas histórias maravilhosas

Quando Edward Bloom fica doente, seu filho William viaja para ficar com ele. William tem uma relação tensa com Edward porque seu pai sempre contou histórias exageradas sobre sua vida e William sempre achou que ele nunca disse a verdade. Mesmo no leito de morte, Edward narra histórias fantásticas. Quando William, que é um jornalista, começa a investigar os contos de seu pai, e passa a entender o homem e sua mania de contar histórias.

Continue Reading

Comportamento

Teste: de qual tipo de filme seu pai saiu?

Bora descobrir o gênero que tem tudo a ver com seu pai!

Published

on

Teste: de qual tipo de filme seu pai saiu?
@freepik

O Dia dos Pais chegou! E se você, assim como nós aqui da todateen, também está no aquecimento para a data tão especial, bora fazer esse teste para descobrir de qual tipo de filme seu pai saiu! Será que ele faz mais o gênero comédia? Ou mais o gênero aventura?!

20 frases que todo pai fala (ou ainda vai falar)
10 filmes incríveis para assistir com o seu pai
Frases fofas para colocar no cartão de Dia dos Pais

Responda as perguntas abaixo, descubra a resposta e aproveite nossas dicas de filmes do gênero que ele mais curte para você assistir com seu papis no próximo dia 13. Vai ser incri <3

E aí, de qual tipo de filme seu pai saiu? É realmente a cara dele? Conta para a gente nos comentários ali embaixo!

Continue Reading

Comportamento

20 frases que todo pai fala (ou ainda vai falar)

Qual delas ele já falou pra você?

Published

on

20 frases que todo pai fala (ou ainda vai falar)

Já ouviram aquela história de que os pais são todos iguais? É claro que existem aqueles que são a maior comédia, outros mais bravos e alguns que fazem o estilo paizão mesmo.

10 filmes incríveis para assistir com o seu pai
Presentes criativos que você pode fazer para o Dia dos Pais
+ Teste: de qual tipo de filme o seu pai saiu?

Mas, se todos são parecidos, separamos frases que todo pai fala, ou ainda vai falar, para você relembrar os melhores momentos ao lado dele nesse Dia dos Pais.

Confira!

“Pergunta pra sua mãe” 

“Puxou o pai!” 

“Você é I-GUAL-ZI-NHA sua mãe!”

“Mas você não é todo mundo!”

“Vou desligar  a internet para você parar de falar desses meninos

“Quando eu tinha a sua idade…”

“Essa é minha menina!”

“Para de mexer nesse celular!”

“Sozinha? Nem pensar!”

“Na sua idade eu já trabalhava”

 “Aproveita que a sua mãe não está em casa”

“Mas na hora do jogo?”

“Que amigo é esse?”

“No meu tempo não era assim”

“Não é pra ficar falando com gente estranha! Entendeu? É perigoso”

“Onde você pensa que vai com essa roupa?!”

“Vou junto para ele saber que você tem pai!”

“Sai desse computador!”

“Cadê esse menino? Vou lá resolver isso já!”

“Não esquece de trancar o portão!”

“Onde é que você tava? Tem celular pra que?”

“Juízo, hein?”

“Crescem tão rápido…”

Continue Reading
Advertisement
Combinação de Nomes

Todos os nomes possuem significados e juntos formam uma combinação única!

Digite nos campos abaixo e descubra nos mínimos detalhes.

 
Combinação de Signos

Confira a combinação de signos para todos do zodíaco

Descubra quais signos combinam no amor, sexo, trabalho e amizade. Faça quantas combinações desejar e compartilhe!

Mais Lidos

Copyright © 2020 - Website produzido por Perfil.com Ltda. Uma parceria de conteúdo Perfil Brasil e Editora Alto Astral. Este site é parceiro do UOL Entretenimento.