Connect with us

Comportamento

Rivalidade feminina e relacionamento “maternal”: o que não levar da “Barraca Do Beijo 2” para a sua vida

Published

on

Relacionamento "maternal" e rivalidade feminina: o que não levar da "Barraca Do Beijo 2" para a sua vida
Divulgação / Netflix

ATENÇÃO: Se você está fugindo dos spoilers de A Barraca Do Beijo 2 pode querer deixar essa matéria para depois 😉 .

A todateen assistiu A Barraca Do Beijo 2 assim que o catálogo da Netflix foi atualizado na última sexta-feira (24). Com um elenco carismático e um enredo clássico entre as comédias românticas adolescentes, o filme protagonizado por Joey King, Jacob Elordi e Taylor Zakhar Perez foi um dos pontos altos da quarentena, tendo a discussão sobre #TeamNoah ou #TeamMarco como uma das temáticas mais comentadas durante o final de semana da estreia.

Entretanto, o filme repleto de cenas fofas também trouxe reflexos tóxicos dos relacionamentos adolescentes, e se você está em grupos de “share” no Facebook deve ter se deparado com diversos comentários que questionam os conflitos que dificultam a vida de Elle no roteiro.

Jacob Elordi revela que sofreu para ter o corpo de Noah Flynn

A gente já fez uma matéria especial sobre os estereótipos do entretenimento teen e como eles podem ser prejudiciais para a formação de uma geração empoderada (confira aqui o conteúdo completo). A sequência de A Barraca Do Beijo nos mostra que, mais uma vez, os rótulos e comportamentos de raízes machistas ainda estão enraizados nas “rom-com” teen.

Diversas reflexões sobre o enredo merecem destaque, mas o foco desta matéria será falar um pouco mais sobre duas problemáticas presentes na história de Elle, Noah, Marco, Lee e Rachel: o relacionamento com características maternais e a consequente rivalidade feminina. Para isso, conversamos com a psicóloga Talitha Nobre, psicanalista membro do corpo freudiano do Rio de Janeiro e coordenadora do centro de apoio à família no grupo Prontobaby.

A Barraca do Beijo: você não vai acreditar a idade real dos atores

Você já reparou que Elle evita ao máximo conversar com Noah quando sente que seu relacionamento está com problemas? E quando Rachel acredita que o problema de sua relação com Lee é a intromissão de Elle, e não a falta de organização do namorado? Segundo a Dra. Nobre, a explicação está nesta mania de acreditar que o homem não tem capacidade de administrar sozinho o problema, e é aqui que o traço “maternal” entra em jogo.

“A mulher muitas vezes é criada para ser mãe, mais um traço herdado pela cultura patriarcal. Essa mulher, que foi criada para atender a todas as demandas do seu parceiro, carrega o peso de ‘cuidar’ dele, é a mãe da relação. No fundo esse comportamento pode revelar uma certa insegurança e dificuldade em lidar com as escolhas do outro. Sendo assim, elas assumem o controle da relação e acabam ocultando suas próprias vontades”.

Afinal, Elle sonhou a vida toda em estudar na Califórnia, mas de um dia para o outro estava em um concurso para ter dinheiro suficiente para Harvard, a faculdade do namorado.

“De novo aquela máxima da mulher responsável pela relação. A mulher como aquela que vai sacrificar sua própria individualidade para preservar a relação e que abre mão da sua singularidade para viver a vida do parceiro”, completa a Dra. Nobre.

Mas não é só a criação patriarcal das mulheres que influenciam essa necessidade de lidar com todos os problemas do relacionamento, e até da vida do parceiro. A criação dos homens pode os tornar péssimos no quesito “inteligência emocional”. Conversar e expressar os sentimentos é uma grande dificuldade para os garotos, especialmente Lee, que prefere fingir torcer o pé a falar com a melhor amiga sobre sua gestão de tempo nos relacionamentos ou ainda, dizer à namorada que não quer reduzir o tempo que passa com a melhor amiga.

Netflix libera cena de “A Barraca Do Beijo 3” e Elle continua indecisa!

“Meninos crescem ouvindo ‘homem não chora’. Há uma restrição ao homem em poder demonstrar suas emoções e isso vai sendo transmitido de geração em geração”.

Como a maior responsabilidade dos problemas parece não ser do parceiro, Elle e Rachel fazem algo que é bem comum em diversos relacionamentos: transferir a causa da complicação no namoro para uma garota, retratada como rival. Para Rachel, Elle é intrometida, enquanto a protagonista reune provas de que Chloe é sua adversária na conquista de Noah. Outro nome para estas situações é a “rivalidade feminina”.

“Este é um esteriótipo que vem sendo desconstruído na atualidade com o conceito de sororidade. Existe o peso da cultura que vai se reproduzindo entre gerações. No modelo patriarcal, por exemplo, o lugar que a mulher ocupa era de ser do lar, mãe, ao lado de um homem a quem deveria agradar. No filme vemos claramente a expectativa feminina de que outras mulheres possam assumir a responsabilidade de resolver os problemas pelos homens. Em uma traição, por exemplo, a culpada é sempre da outra mulher, isso já esta tão enraizado que muitas vezes não paramos para questionar”.

Nobre ainda comentou sobre a rivalidade feminina e a isenção da responsabilidade dos homens na relação.

“A narrativa mostra a namorada culpando a amiga do namorado pela relação de amizade entre os dois, quando deveria questionar o próprio garoto pela relação que ele tem com a protagonista, a qual lhe causa tanto desconforto. Isso só aumenta a rivalidade feminina e isenta o homem da responsabilidade na relação”, completa a Dra. Nobre.

+ Qual personagem de A Barraca do Beijo mais te define?

Apesar de não mostrar uma conversa sincera entre Lee e Rachel, a sequência de A Barraca Do Beijo se encerra com o fim do clima de disputa entre as mulheres, bem como a conversa tão aguardada entre o casal favorito, Elle e Noah. Se existe algo da narrativa que podemos levar para a vida real, com toda certeza é a conclusão de que a comunicação é o pilar para qualquer relação.

“O relacionamento é um acordo entre duas pessoas, o qual precisa ser ajustado e relembrando sempre que necessário. Não há relacionamento sem comunicação! Quanto melhor o diálogo, melhor será a relação”, finaliza a Dra. Nobre.

Celebs

Festival Teen: Lucas Burgatti fala sobre amadurecimento e revela nova fase musical

Published

on

Festival Teen: Lucas Burgatti fala sobre amadurecimento e revela nova fase musical
Rawpixel | Instgram

Com apenas 18 anos, Lucas Burgatti, além de ser uma das estrelas da novela Poliana Moça, do SBT, é também um cantor em ascensão. Uma das atrações do Festival Teen 2020, Lucas está cada vez mais focado no mundo musical e já conta com uma grande quantidade de fãs e seguidores nas redes sociais.

Em um papo exclusivo com a todateen, o artista falou um pouco sobre como foi a idealização do seu último single, Desabafo, que foi estreado na quarentena, deu alguns spoilers sobre sua carreira e contou quais são suas expectativas para o evento adolescente.

+ Tudo sobre o Festival Teen 2020

Em 2019, Lucas já tinha feito uma pequena participação no festival para cantar alguns covers e também a música Tamo Junto, que foi o seu primeiro trabalho autoral. “Eu estou muito feliz por ter sido convidado novamente e de ver que o Festival Teen cada vez mais abre espaço para novos talentos da música.”, contou ele.

Desde então, a vida do cantor foi bastante corrida. “Veio a pandemia, a quarentena, tivemos que dar uma pausa nas gravações da novela ‘Poliana Moça’. E é interessante porque na nova temporada os personagens voltarão mais maduros, e isso acompanha uma mudança de fase que está acontecendo ao mesmo tempo em minha vida real.”, detalhou ele, que acabou de completar 18 anos. “Meu personagem voltará à TV mais crescido e minha relação com a música também entra em um novo momento.”, disse.

+ Festival Teen: Mahressa revela referências na música e seu maior sonho de carreira

Interessado pela música desde pequeno, Lucas contou que seu interesse em cantar vem antes de seu trabalho como ator e que aproveitou bem o tempo em casa para se dedicar a esse outro lado de sua carreira. O seu último lançamento, o single Desabafo, fala muito sobre a vida em isolamento social e não foi um projeto planejado com antecedência pelo cantor. “Foi algo totalmente inesperado, porque no início da quarentena eu já estava finalizando outra música, a ‘Nas Estrelas’, que a princípio seria o primeiro single autoral dessa nova fase.”, contou ele.

Festival Teen: ascensão do funk, Pepê Barbosa revela que tem música nova vindo por aí

“Foi um período em que eu compus e experimentei muito no home studio que tenho em meu quarto. Em alguns momentos eu estava triste com a situação atual e decidi retratar em uma letra os dias em que me sentia desanimado“, explicou.

Na faixa, Lucas fala sobre a saudade que ele sente da vida de antes, da liberdade e de seus amigos. “Com esse desabafo, passei a me sentir melhor. Eu senti em meu coração que precisava compartilhar isso com as pessoas, principalmente com aquelas que se identificam com esse sentimento. Foi por isso que esse lançamento veio de surpresa e acabou se tornando o primeiro lançamento para esse meu novo momento com a música.”, revelou.

“Busquei usar essa música para mandar essa mensagem para as pessoas, que é normal a gente acabar ficando triste, mas que no fim tudo vai ficar bem.”, disse Lucas sobre a música Desabafo.

Nessa nova fase, Lucas contou que está ansioso para poder se apresentar e interagir com os fãs no Festival Teen. “Mesmo sendo uma versão totalmente digital, todo mundo pode esperar um grande show, com muita energia, muita animação. Serão 11 shows, um mais incrível que o outro, até eu estou ansioso para poder conferir como fã.”, disse.

Seu próximo lançamento, Nas Estrelas, logo vem aí e Lucas está animado para compartilhar o resultado. “Em breve todo mundo vai poder curtir a música e assistir ao vídeo clipe. O single é um pop romântico que também teve um pouco de inspiração neste momento que a gente acaba se sentindo um pouco sozinho e bate aquela vontade de encontrar quem você gosta.”, revelou, contando que se trata de uma história um jovem e seu amor não tão correspondido por uma garota, sendo que tudo o que ele sonha é em viver com ela.

***

O Festival Teen acontece no próxima dia 3 de outubro, com transmissão ao vivo pelo canal oficial do evento. Nesta que é a primeira edição 100% digital, teremos grandes nomes no line-up: Pedro SampaioVitãoMC JottaPêJoão Guilherme e BFF Girls.

Continue Reading

Comportamento

De Goiás para o Funk Hits: MC Jacaré comemora sucesso no Spotify e reflete sobre diversidade na música

Published

on

De Goiás para o Funk Hits: MC Jacaré comemora sucesso no Spotify e reflete sobre diversidade na música
Rawpixel | Divulgação

Quando Pedro Henrique viu a sua música sendo compartilhada por diversas celebridades, ele não acreditou. O áudio era só uma produção que tinha feito em casa, sem estrutura e nenhuma pretensão de sucesso. Mas Melhorar Meu Dia chegou no TOP 50 do Brasil pelo aplicativo Spotify e Pedro Henrique se tornou o MC Jacaré, o rosto que estampa a playlist Funk Hits em setembro.

Quando lançou nas plataformas, em poucos dias acumulou milhões de visualizações e alcançou celebridades, como a influenciadora Priscila Evellyn e o seu maior ídolo – o cantor Kevin O Chris.

Ascensão do funk, Pepê Barbosa revela que tem música nova vindo por aí

Conciliando o terceiro ano do ensino médio com o sucesso como artista, MC Jacaré entrou novamente do TOP 50 do país com a sua nova música, Comprei um Lança.  Em entrevista à todateen MC Jacaré fala sobre o início da carreira, parcerias, próximos passos e a importância da diversidade na música.

Festival Teen: MC Jottapê promete muito funk e animação para o live show

Se liga!

Você é ligado à música desde pequeno. Quando você decidiu que gostaria de seguir carreira no universo artístico?

Olha, a minha mãe fala que a brincadeira que eu mais fazia quando criança era fingir que estava tocando e cantando para a família. Eu sempre fui um garoto muito curioso, olhava o meu tio tocando violão e ficava lá do lado dele, tentando aprender alguns acordes. Então, eu sempre tive esse gosto, mas nunca passou pela minha cabeça ser um artista. Achava que essa vida era pra gente mais rica, e, por isso, um sonho muito distante de mim, entende? Já mais velho, em 2018, que eu comecei a fuçar na internet como produzir músicas, como mixar os funks que eu gostava. Fui baixando uns aplicativos no laptop velho que eu tenho e fui aprendendo. As músicas que eu fiz viralizaram e eu não acreditei quando isso aconteceu. Foi tudo muito rápido e inesperado.

Como você se sentiu quando viu seu rosto estampando uma das maiores playlists de funk do Brasil?

Até agora a ficha não caiu, hahah. Estou aprendendo a cada dia como lidar com o sucesso das minhas músicas. Eu fico muito feliz quando os meus pais voltam do trabalho e dizem que ouviram a minha música tocando em algum lugar pelo caminho. Os meus amigos também me mandam vídeos quando ouvem na rua. É tudo muito novo, a gente está entendendo esse sucesso agora também. E é muito bom poder mostrar que, de Setor Urias Magalhães, em um quartinho sem estrutura nenhuma, é possível fazer música e realizar o seu sonho.

O funk brasileiro tá se reinventando cada dia mais. Qual a importância na diversidade dos gêneros musicais (funk com forro, funk com trap…) nesse universo?

Eu acho que quando os gêneros se misturam, o público fica mais aberto para ouvir outras coisas. Acho que isso pode explicar o meu crescimento também. Quando que um garoto de 17 anos, de Setor Urias Magalhães, ficaria conhecido fazendo funk? É graças à internet e a essa mistura de estilos.

O seu mais novo lançamento é uma parceria com o JS O Mão de Ouro. Como tá sendo trabalhar com ele?

Está sendo ótimo. Ela vai fazer a versão brega funk de “Comprei um Lança”, acho que todos vão curtir. Assim como ele, agora também faço parte da produtora Los Pantchos, de São Paulo. E é coisa de outro mundo. Para quem gravava em casa sem ter até mesmo um microfone, agora a gente está bem demais, hahah.

Quais são seus planos para o futuro? Pode dar algum spoiler pra gente?

Além da versão brega funk de “Comprei um Lança”, ainda vou lançar outras músicas esse ano. A Los Pantchos me abraçou e está sonhando junto comigo.

Continue Reading

Comportamento

5 vezes em que Vitão hitou na internet (e na vida)

Published

on

5 vezes em que Vitão hitou na internet (e na vida)
Rawpixe | Instagram

O cantor paulistano Vitão, dono do hit Um Pouco de Você, vem sendo destaque na mídia durante os últimos meses por conta de seu recente relacionamento com a cantora Luísa Sonza e lançamento de Flores, além da crescente popularidade.

Headliner do Festival Teen 2020, nossa parceira de conteúdo ATREVIDA elencou 5 vezes em que Vitão roubou a cena. Confira AQUI o conteúdo completo!

***

O Festival Teen acontece no próxima dia 3 de outro, com transmissão ao vivo pelo canal oficial do evento. Nesta que é a primeira edição 100% digital, teremos grandes nomes no line-up: Pedro SampaioVitãoMC JottaPêJoão Guilherme e BFF Girls.

Continue Reading
Advertisement
Combinação de Nomes

Todos os nomes possuem significados e juntos formam uma combinação única!

Digite nos campos abaixo e descubra nos mínimos detalhes.

 
Combinação de Signos

Confira a combinação de signos para todos do zodíaco

Descubra quais signos combinam no amor, sexo, trabalho e amizade. Faça quantas combinações desejar e compartilhe!

Mais Lidos

Copyright © 2020 - Website produzido por Perfil.com Ltda. Uma parceria de conteúdo Perfil Brasil e Editora Alto Astral. Este site é parceiro do UOL Entretenimento.