Connect with us

Ler é TDB!

9 livros de romances emocionantes escritos por Nicholas Sparks

Perfeitos para os fãs de histórias de amor!

Published

on

9 livros de romances emocionantes escritos por Nicholas Sparks

“Nosso amor é como o vento: não posso ver, mas posso sentir”. Essa frase te soa familiar? Provavelmente é porque você já leu o livro Um Amor para Recordar ou, já assistiu ao filme, não é mesmo?  Frases românticas e impactantes são características marcantes nos textos de Nicholas Sparks! Aproveite o nosso especial e conheça mais sobre outros romances emocionantes do autor!

Tudo sobre Nicholas Sparks

O envolvimento de Nicholas Sparks com a escrita surgiu de uma forma superdiferente. Ele era aluno da Universidade de Notre Dame, e seu sonho era ser atleta profissional. Em uma competição, Nicholas se machucou feio e teve que passar as férias todas se recuperando. Durante este tempo, ele se dedicou a escrever seu primeiro romance!

Depois disso, Nicholas se formou, casou, trabalhou em diversos empregos e escreveu seu segundo romance (nenhum dos dois foi publicado!). A fama surgiu após Theresa Park (agente literária) decidir representá-lo. Ela vendeu os direitos de Diário de Uma Paixão (The Notebook) à Warner Books.

O sucesso foi imediato e a obra permaneceu durante 56 semanas consecutivas nos tops americanos! Atualmente, Nicholas Sparks é considerado o “Autor Best-Seller nº 1” e já soma cerca de 100 milhões de livros vendidos no mundo todo! #Uau!

Romances emocionantes escritos pelo autor:

Filmes baseados em seus livros

E o sucesso de Nicholas Sparks não se limita somente aos livros! A maioria de suas obras foram adaptadas para o cinema. Confira os trailers de Diário de Uma Paixão, Querido John, Um Homem de Sorte, A Última Música, Um Amor para Recordar e Noites de Tormenta.

Nicholas é o exemplo perfeito da mistura de talento e sorte.  Não é mesmo? Quem diria que um acidente durante uma competição iria trazer tanta coisa boa para a vida do autor!Agora é a sua vez, conta pra gente:  qual desses romances emocionantes você já leu? E qual mais te marcou?

Continue Reading
Advertisement
36 Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

Exclusiva: Jenna Evans Welch, autora de “Amor & Gelato”, fala sobre seu novo lançamento e dá conselho amoroso!

Published

on

Exclusiva: Jenna Evans Welch, autora de "Amor & Gelato", fala sobre seu novo lançamento e dá conselho amoroso!
Rawpixel/Divulgação

Jenna Evans Welch sempre foi uma leitora voraz e, no auge dos seus 7 anos de idade já tinha uma certeza: iria se tornar escritora quando crescesse. Dito e feito. Com os livros Amor & Gelato e agora com seu mais novo lançamento, Amor & Sorte, publicados no Brasil pela Editora Intrínseca, Jenna entrou para a lista de best-sellers do New York Times.

Para falar mais sobre o segundo livro da série Amor &, Jenna bateu um papo com a todateen, comentando diversos aspectos não só da produção, mas da história em si. A autora também revelou quais são seus próximos passos e deu um conselho super especial para quem está com o coração partido!

+ “Parece que Piorou”: como os quadrinhos de Bruna Maia retratam comicamente os tempos atuais

Confira!

Quando você realmente decidiu que gostaria de se tornar uma escritora?

Eu consigo me lembrar de ter 7 anos de idade e já querer ser escritora. Desde que eu descobri os livros eu me apaixonei, e eu só lia e lia. Eu decidi que eu queria escrever para adolescentes quando eu tinha 11 anos. E… agora eu tenho 34 anos e quando eu era mais nova, realmente não existiam uma boa variedade de livros no mercado do gênero Young Adult [jovens adultos]. E eu lembro que eu li tudo na biblioteca das crianças e eu lembro de ficar animada para procurar os livros que eram para adolescentes. Eu queria livros que eram pra um pessoal um pouco mais velho, mas que ainda fossem divertidos e tivessem um pouquinho de relacionamentos e beijos. E eu lembro de ir pra biblioteca e tinha tipo uma prateleira. E todos os livros eram sobre líderes de torcida e eu não fiquei impressionada. Eu fiquei tão desapontada e eu lembro de falar pra minha mãe “eu vou escrever os livros que eu gostariam que estivessem lá”. E eu só fui para a seção dos adultos e comecei a ler coisas que, honestamente, eram maduras demais para mim, mas ainda assim fico feliz de ter lido todas as coisas que eu li. Mas eu estaria no céu se eu tivesse sido uma adolescente nos dias de hoje.

E de onde você tirou inspiração para escrever “Amor & Gelato”, e agora “Amor & Sorte”?

Então, “Amor & Gelato”… eu fiz o ensino médio em Florença, na Itália. Eu fui para aquela escola que eles citam no livro e eu realmente não baseei nenhum dos personagens em alguém que eu conheci em particular. Mas eu tive algumas inspirações. Exceto uma personagem e… uma ideia! Eu tinha uma amiga que morava em um cemitério americano, bem perto de Florença. E ela praticava corrida, e ela corria por entre as lápides. E eu lembro de pensar “isso é um cenário tão legal para um livro”. Então eu carreguei essa ideia comigo por um bom tempo.

+ Gay, negro e periférico: Samuel Gomes fala sobre seu novo livro, “Guardei No Armário”

E falando agora de “Amor & Sorte”. Eu soube desde o início que eu queria escrever sobre a Addie. Ela simplesmente… na verdade eu acho que nada sobre escrever “Amor & Gelato” foi fácil para mim, com exceção da Addie. Ela só apareceu e ela foi tão fácil e divertida. E eu acho que ela tem meio que essa ousadia que eu sempre desejei ter – especialmente quando adolescente. Então eu sabia que queria escrever sobre ela e… é engraçado porque eu acho que a primeira inspiração veio porque… bom, eu costumava dirigir até a casa dos meus pais e tinha esse pequeno carrinho quebrado no meu caminho. E eu costumava pensar que deveria ter uma história. E meio que se tornou na história dela e do irmão dela. No começo eu ia narrar a história se passando nos Estados Unidos, foi meu editor que sugeriu Europa de novo. E imediatamente eu soube que eu queria que fosse na Irlanda. Eu amo a Irlanda! Isso foi divertido!

Você chegou a ir para a Irlanda para escrever o livro? Fazer uma pesquisa de campo?

Sim! Na verdade eu fiz a viagem de carro mais doida de todas para fazer essa pesquisa! Eu tinha acabado de ter um bebê e minha editora tinha acabado de fazer a sugestão “e se meninas no exterior for a sua praia?”. E logo que ele disse isso eu senti esses arrepios nos meus braços e eu fiquei tipo “sim, essa é a minha praia!”. Então eu tive que descobrir como eu ia conseguir ver o máximo possível da Irlanda, sem deixar meu bebê por muito tempo. Então eu pedi para a minha melhor amiga, eu liguei pra ela e falei “você quer ir para a Irlanda comigo na semana que vem?“. E ela ficou tipo “Ah… tabom!”. Nós fizemos uma viagem de carro e a gente teve 72 horas. Começamos na costa oeste e dirigimos para a costa leste. E foi tão… foi realmente rápido. Tipo, a gente pegava o nosso guia e ele dizia algo como “passe três dias na Península de Dingle” e eu ficava tipo “nós temos três horas! vamos ver tudo!”. Então foi bem parecido com a história mesmo, eu me diverti demais conhecendo a Irlanda. É muito mágico.

Você se inspirou na sua própria viagem para narrar a da Addie?

Sim! Especialmente nas partes que falam da mãe dela, que está tendo muitas dificuldades para dirigir e fica xingando o tempo todo. Aquela fui eu a viagem toda. Minha amiga teve que assumir porque eu tava sofrendo muito de ter que dirigir no lado oposto da estrada e ainda ter que ir imaginando a história. E a gente viu tudo que está no livro.

Vocês chegaram a ver o anel de fadas?

Sim! Os anéis de fada! Eu tenho que dizer que o anel de fadas do livro eu coloquei em um lugar diferente do que realmente é. Embora tenham vários. E uma leitora entrou em contato comigo e me disse que ela achou usando o meu livro e eu fiquei tipo “Oh!”. Acho então que tinha um no lugar que eu coloquei e isso meio que me deixa arrepiada. E no anel de fadas, eu não consegui chegar até o centro dele porque estava trancado. Mas era esse lugar verde, lindo e admirável, que junto da luz do sol entrando deixou tudo muito mágico. Foi lindo.

Outro destaque é o guia de viagem “Irlanda para corações partidos”. Como foi pra você escrever o guia?

Em “Amor & Gelato” eu tinha o diário da mãe como algo que fazia a história seguir em frente e eu gostei muito de escrever daquela maneira. Então eu basicamente inventei uma forma de fazer aquilo de novo. Porque é tão importante pra mim curtir e me divertir enquanto eu escrevo. E aí eu pensei “talvez eu devesse fazer algum guia ou algo do tipo pra transmitir algumas coisas mais sérias”, e aí eu achei essa voz divertida e eu pensei… na verdade eu gostaria de lembrar de onde é que veio a ideia do coração partido, mas tudo meio que apareceu pra mim. E eu sinto que esse estilo de escrita é muito verdadeiro e está totalmente em consonância com a minha própria voz, então foi muito fácil e divertido escrever essas partes. Muitas pessoas me perguntaram se era um livro de verdade! Eu até pensei se eu não devesse escrever um pouco mais e publicar.

+ Conectadas: conheça o livro de Clara Alves que mostra as dificuldades de entender a sexualidade

Qual foi a cena que você mais gostou de escrever?

Eu acho que a cena da cerimônia da rainha Maeve. Eles chegaram no festival e os amigos dela estão construindo, engrandecendo ela, certo? E aí uma das primeiras coisas que eu escrevi dessa cena no livro foi quando a Lina está falando sobre como a Addie estava lá pra ela quando sua mãe estava morrendo. E como foi pra Addie quando ela recebeu a ligação e correu descalça pelo hospital e as enfermeiras estavam tentando pará-la. Quando eu escrevi isso eu estava chorando tanto!

Eu estava, na verdade, pensando em uma amiga minha que perdeu a mãe e em como eu me senti desamparada. Sobre o quanto eu queria ajudá-la e às vezes querendo com que ela ficasse sabendo que eu iria chegar até ela o mais rápido possível. Essa foi a cena que eu mais gostei.

E qual foi a cena mais difícil pra você escrever?

Honestamente, muito desse livro foi difícil de escrever. Eu tive muita dificuldade de descobrir como encerrar a história. Basicamente, quando o carro quebra e eles ficam meio que encalhados. Bem na parte em que o segredo da Addie vem à tona, eu tive dificuldade de entender como eu iria entregar e explicar o que tinha acontecido com ela.

Sobre a personalidade da Addie. Eu simplesmente a amo então eu queria saber o que você mais gosta nela?

Eu amo o quanto ela é ousada e eu amo o quão leal ela é. Eu acho que lealdade era a principal característica que eu queria que ela tivesse. Ela é alguém que faria qualquer coisa pelas pessoas que ela ama. E para alguém como ela, que é tão leal, o fato de ter sido traída foi terrível demais. Então eu acho que o que eu mais amo nela é a lealdade dela e o comprometimento dela com os amigos e irmãos.

Harry Potter: 7 diferenças entre os filmes e os livros

O Rowan também é um personagem incrível. E ver ele, Addie e Ian interagindo é incrível. Como foi pra você escrever essas cenas?

Eu amei escrever as cenas dos três juntos, eu amei o Rowan. Eu tinha a intenção de não tornar ele o cavaleiro da armadura reluzente para resgatar ela [Addie]. Eu acho que, você sabe… muitas pessoas acharam que ia ser muito parecido com o primeiro livro [“Amor & Gelato”] e que teria um grande romance. E eu queria que houvesse uma possibilidade de tudo isso, mas eu realmente queria que a Addie salvasse a si mesma. Sabe? Para ela perceber sua própria força interna. Então eu senti o Rowan como um bônus muito divertido. Alguém que a gente gostaria de passar tempo junto, né? Eu me diverti muito escrevendo sobre eles.

E de onde veio a ideia para a rainha Maeve? Como você entrou em contato com ela?

Antes de eu ir para a minha viagem, um amigo de um amigo, que tinha passado um tempo na Irlanda, sentou comigo e ele estava me falando sobre todos os lugares que ele mais tinha amado – a maioria deles eu nem cheguei a ir porque eles eram mais ao norte da Irlanda. E ele me falou sobre a tumba da rainha Maeve. E eu lembro de achar aquilo tão interessante! E aí quanto mais eu eu comecei a pesquisar, mais eu conseguia ver quanto ela tinha a ver com a minha personagem. Com essa veracidade e eu amo essa personagem feminina forte irlandesa e eu realmente queria deixar ela lá o máximo possível.

Como foi pra você entrar em contato com a Lina e com o Ren de novo em “Amor & Sorte”?

Foi muito legal e foi divertido eles serem mais secundários. Eu lembro de ter realmente sentido que eu tinha dito adeus à eles, quando eu acabei de escrever “Amor & Gelato”. E eu fiquei “Ok, aí vão eles! Espero que as pessoas gostem de vocês!”. Então foi legal vê-los por um momento. Eu não senti que eles eram totalmente imprescindíveis para a história enquanto eu estava escrevendo. Então eu não sei, foi tipo uma coisa muito engraçada ver como o meu foco estava em outro lugar.

Eu não consigo contar a quantidade de e-mails que eu recebi perguntando se eu ia escrever sobre eles novamente. Então eu fiquei “espero que essa aparição tenha sido suficiente”.

E qual é o seu maior objetivo com as suas histórias? O que você quer que as pessoas sintam enquanto elas leem seus livros?

Ok… essa pode ser uma metáfora engraçada. Mas é realmente o que eu penso. Eu quero que os meus livros tenham gosto de cupcake, ou seja, eu quero que eles sejam doces e divertidos e tão deliciosos que você só quer devorá-los. Mas eu também quero que eles tenham os nutrientes necessários, sabe? Então o que eu quero dizer com isso é que eu quero algo que, talvez, você curta e goste demais, mas que você também saia com algo importante.

Eu realmente me sinto honrada de estar escrevendo para adolescentes e eu levo muito a sério. Eu quero dizer a eles coisas que eu gostaria de ter ouvido na idade deles e eu quero explorar assuntos que são importantes para eles. Eu me importo muito em explorar dinâmicas familiares e eu acho que, especialmente nessa idade, em que os meus personagens têm entre 16 e 17 anos, é quando os jovens estão começando a tentar entender quem eles querem ser. E perceber que eles têm o controle de suas próprias vidas. E eu acho que isso é um momento tão importante para as pessoas, então eu quero minhas histórias sejam divertidas e quero que eles saiam dela levando algo que possa ajudá-los.

+ Exclusiva: em novo livro, Thalita Rebouças conta a história de sua vida: “Perdi a timidez”

Se você pudesse dar um conselho para alguém que está de coração partido, o que você diria?

Essa é uma pergunta ótima! Eu acho que a última entrada do último capítulo de “Amor & Sorte” é realmente o meu conselho. Resumindo ele, basicamente, nós somos feitos para termos os nossos corações partidos. E eu não quero soar piegas ou clichê, mas vale a pena se arriscar para amar e ser amado. Vale a pena tentar se conectar com as pessoas e a gente vai se machucar, mas a outra opção é nunca se abrir. E isso, ao meu ver, é mais dolorido. E eu acho que cada uma dessas dores vão moldar você para que se torne quem você quer ser.

Você gostaria de ver seus filmes nas telonas?

Sim! Eu só estou dizendo sim para essa pergunta para que o universo saiba que eu estou preparada. Estou preparada! Eu acho que seria tão legal e divertido, e só de pensar em ver minhas personagens e assisti-las, me dá arrepios todas as vezes que eu penso nisso! Eu acho que eles fariam séries ou filmes muito legais!

E, sobre o futuro! Você já tem mais coisas vindo por aí? Quais são os seus planos?

Eu até estou com o meu quadro aqui exposto porque eu estou divulgando isso bastante aqui [nos Estados Unidos]. “Love & Olives” [o 3º livro da série “Love And”, ainda sem nome em português] vai ser lançado no mês que vem nos EUA e é o terceiro e final livro da trilogia. E acabou de ser comprado no Brasil! Então… eu ainda não tenho nenhuma data oficial acho que eu ainda terei mais informação, mas imagino que talvez daqui um ano ele esteja disponível aí. E vai ser incrível.

Além disso, eu estou trabalhando em algo fora da trilogia “Love And” e é um livro único. Ou pelo eu acho que é um livro único. Eu achei que “Amor & Gelato” ia ser um livro único também, então quem sabe. Mas é bem diferente desses três últimos livros e eu estou me divertindo muito escrevendo.

Quer deixar um recadinho para os seus fãs brasileiros?

Eu amo meus fãs brasileiros! Eu amo o entusiasmo deles! Eu fico tão animada com a ideia de todos esses leitores em um lugar que eu nunca tive a oportunidade de ir. Espero que eu possa visitar algum dia!


Os livros Amor & Gelato e Amor & Sorte podem ser adquiridos na Amazon e no site oficial da Intrínseca.

Continue Reading

Entretenimento

“A Rainha Perdida”: livro conta história de uma sociedade que aboliu a palavra “liberdade” do dicionário

Published

on

Reprodução/Amazon

Se você curte distopias, não pode perder essa dica! O livro “A Rainha Perdida” é o primeiro de uma trilogia que se passa em Aghaia, país governado pelo tirano rei Petrus. Em uma época pós-guerra, marcada por diversas tragédias, os moradores são obrigados a trabalhar 14 horas por dia e são proibidos de ultrapassar os muros dos distritos. Em troca de viver em um lugar sem violência ou fome, palavras como “liberdade” foram abolidas do dicionário – e da vida dos moradores.

E é nesse contexto que conhecemos Ellena, uma jovem do distrito 7 que trabalha com a sua família em uma fábrica de tecidos. Sua melhor amiga, Vick, é uma Especialista que trabalha no antigo prédio da Prefeitura. Já Ellena tem o sonho de se tornar uma Admitida e ir trabalhar na Capital. No entanto, acaba descobrindo que para alcançar seu objetivo, precisa abrir mão de voltar ao seu distrito para sempre e de se comunicar com sua família. A partir de então, a personagem principal passa a descobrir segredos guardados a sete chaves, além de viver um triângulo amoroso proibido.

Escrito por Ana Cristina Melo, a obra trata-se de uma ficção, mas é baseada em diversos temas que existem na nossa sociedade. “Não queria personagens com poderes ou terras fantasiosas; queria personagens que pudessem ser iguais a qualquer um de nós, e um lugar que fosse uma grande metáfora para o que vivemos em nossa sociedade”, revela a autora. Para isso, conta a história de personagens que passam por emoções e experiências reais, que poderiam se encaixar na vida de muitas pessoas.

E aí, ficou curioso para conhecer a história? Então garanta o primeiro livro da trilogia no site da Amazon e aproveite para mergulhar em uma nova distopia que vai te conquistar: https://amzn.to/37sZh4K

Crédito: Reprodução/Amazon

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com o site da Amazon. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a TodaTeen pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/3a1r1fa

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3d11kxr

Continue Reading

Comportamento

Cantinho Literário Todateen: lista de leituras para o mês de outubro

Published

on

Cantinho Literário da Todateen: leituras para o mês de outubro
Rawpixel/Divulgação

É provável que você já esteja acompanhando alguns dos nossos conteúdos exclusivos de literatura. Por isso, a todateen pensou em preparar uma lista de leitura super especial para você se organizar para o mês de outubro. Para te ajudar a montar a sua TBR (To Be Read: “Para Ler Lido”, em tradução livre) – nome simpático do universo dos livros para dizer lista de leitura, rs! – fizemos uma curadoria escolhemos quatro títulos (alguns lançamentos, outros não) que certamente vão te entreter.

+ “Valentes: histórias de pessoas refugiadas no Brasil” leva um novo olhar à realidade dos refugiados
+ O que é a taxação de livros e como ela influencia na cultura brasileira?
+ Conectadas: conheça o livro de Clara Alves que mostra as dificuldades de entender a sexualidade

Abaixo, dá só uma olhada na seleção que fizemos, nas sinopses e nas informações sobre eles. <3

Meninas Selvagens, Rory Power

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Galera Record (@galerarecord) em

Esse livro tem tudo a ver com o momento histórico que estamos vivendo. Meninas Selvagens é um best-seller do New York Times da norte-americana Rory Powers. Este é o primeiro romance da autora e adivinhem onde ele é ambientado? Isso mesmo, no meio de uma pandemia! Publicado pela editora Galera Record, o livro combina um cenário de terror-feminista junto com a angústia e ternura da adolescência.

Confira a sinopse:

“Há dezoito meses, a Escola Raxter para Meninas entrou em quarentena. Há dezoito meses, uma misteriosa doença virou a vida de Hetty do avesso. Começou devagar. Primeiro, as professoras foram morrendo, uma a uma. Então, começou a infectar as alunas, transformando o corpo delas em algo cada vez mais estranho. Isoladas do resto do mundo e deixadas à própria sorte, as meninas não se atrevem a ultrapassar o limite da escola. Hetty, Byatt e Reese esperam a cura prometida enquanto a doença se alastra. Mas tudo muda quando Byatt desaparece. Hetty não medirá esforços para encontrá-la, mesmo que isso signifique quebrar a quarentena e desbravar os horrores que as esperam além da cerca que separa a escola da floresta. E quando Hetty se lança rumo ao desconhecido, descobre que há muito mais mistérios por trás dessa história que ela jamais poderia imaginar.”

Compre sua cópia de Meninas Selvagens neste link aqui.

Rádio Silêncio, Alice Oseman

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Alice Oseman (@aliceoseman) em

Extremamente sensível, Rádio Silêncio é o segundo livro da escritora inglesa, Alice Oseman. Em uma história cheia de representatividade de etnia e de gênero, a autora consegue se comunicar com cada um de nós ao contar a história de Frances Janvier. Publicado pela editora Rocco, a narrativa apresenta uma mensagem muito bonita sobre ser jovem e estar na busca da felicidade.

Confira a sinopse:

“Olá.
Espero que alguém esteja ouvindo.
Estou enviando esse sinal via rádio num pedido sombrio e desesperado de socorro.
As coisas na Universe City não são o que parecem ser.
Não posso contar quem sou. Por favor, me chame… por favor me chame apenas de Rádio. Rádio Silêncio. Afinal, sou só uma voz numa rádio, e pode ser que ninguém esteja ouvindo.

E se tudo o que você sonhou para si mesmo estivesse errado?

Frances Janvier sempre foi uma máquina de estudos com um único objetivo: entrar em uma faculdade de elite. Nada irá ficar em seu caminho: nem amigos, nem um grande segredo e nem mesmo a pessoa que ela é de verdade. Mas, quando Frances encontra Aled, um garoto tímido, intrigante e inteligente, ela descobre uma nova liberdade. Ele destranca a porta para a real Frances e pela primeira vez a garota tem a experiência de uma amizade verdadeira em que ela pode ser ela mesma.

Compre sua cópia de Rádio Silêncio neste link aqui.

A Casa Holandesa, Ann Pachett

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Intrínseca (@intrinseca) em

Romance finalista do prêmio Pulitzer de 2020, A Casa Holandesa é uma história tocante sobre o verdadeiro significado de família. Regado de muita reflexão, o livro de Ann Pachett questiona como é possível superar o passado enquanto, ao mesmo tempo, confrontamos nossos próprios traumas.

Publicado pela editora Intrínseca – com exclusividade para os assinantes do clube Intrínsecos – caminhamos lado a lado dos irmãos Danny e Maeve, tentando entender todos os acontecimentos do passado e presente da família Conroy.

Confira a sinopse:

“Após a Segunda Guerra Mundial, graças à conjugação de sorte e um investimento fortuito, Cyril Conroy entra no ramo imobiliário, criando um negócio que logo se tornará um império e levará sua família da pobreza a uma vida de opulência. Uma de suas primeiras aquisições é a Casa Holandesa, uma extravagante propriedade no subúrbio da Filadélfia. Mas o que seria apenas uma adorável surpresa para a esposa, acaba desencadeando o esfacelamento de toda a estrutura familiar.”

Compre sua cópia de A Casa Holandesa neste link aqui.

Os Sete Maridos de Evelyn Hugo, Taylor Jenkings Reid

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Editora Paralela (@editoraparalela) em

Publicado pela editora Paralela, Os Sete Maridos de Evelyn Hugo é uma montanha russa de emoções. A narrativa de Taylor Jenkins Reid nos motiva a pensar sobre as nossas conquistas e tudo o que ainda temos pela frente. A história demonstra, de uma maneira extremamente delicada, a importância de nos impormos, falarmos e compartilharmos nossas experiências.

Acompanhando a trajetória da sensação Evelyn Hugo, aprendemos a exercer a empatia e nos sensibilizar pela vivência do outro.

Confira a sinopse:

“A Lendária estrela de Hollywood, Evelyn Hugo, sempre esteve sob os holofotes — seja estrelando uma produção vencedora do Oscar, protagonizando algum escândalo ou aparecendo com um novo marido… pela sétima vez. Agora, prestes a completar oitenta anos e reclusa em seu apartamento no Upper East Side, a famigerada atriz decide contar a própria história — ou sua “verdadeira história” —, mas com uma condição: que Monique Grant, jornalista iniciante e até então desconhecida, seja a entrevistadora. Ao embarcar nessa misteriosa empreitada, a jovem repórter começa a se dar conta de que nada é por acaso — e que suas trajetórias podem estar profunda e irreversivelmente conectadas.”.

Compre sua cópia de Os Sete Maridos de Evelyn Hugo neste link aqui.

Gostou das indicações? Não deixe de nos seguir no Instagram para compartilhar suas experiências com a gente!

Boa leitura! <3

Continue Reading
Advertisement
Combinação de Nomes

Todos os nomes possuem significados e juntos formam uma combinação única!

Digite nos campos abaixo e descubra nos mínimos detalhes.

 
Combinação de Signos

Confira a combinação de signos para todos do zodíaco

Descubra quais signos combinam no amor, sexo, trabalho e amizade. Faça quantas combinações desejar e compartilhe!

Mais Lidos

Copyright © 2020 - Website produzido por Perfil.com Ltda. Uma parceria de conteúdo Perfil Brasil e Editora Alto Astral. Este site é parceiro do UOL Entretenimento.