Connect with us

Saúde

“Tenho medo de ir ao ginecologista!” Os especialistas ajudam a superar!

Bora deixar sua consulta mais tranquila 😉

Published

on

Tenho medo de ir ao ginecologista

“Tenho medo de ir ao ginecologista”, eita medo comum entre garotas! Ir ao ginecologista é algo que faz parte da vida de todas as mulheres, porém, muitas vezes, acabamos adiando a ida ao especialista por medo. Por ser algo tão íntimo e que envolve tantos tabus, é totalmente normal que este medo surja. Mas é fato que não devemos deixar que o medo nos impeça de esclarecer dúvidas e procurar ajuda quando tivermos problemas ginecológicos. Pensando nisso, perguntamos às nossas leitoras o motivo de terem medo de ir ao ginecologista e conversamos com os especialistas para afastar de vez essa neura. Vem ver!

“Eu estou com medo” – Giphy

“Tenho medo de ir ao ginecologista?”

“Porque é um homem olhando para as minhas coisas”

Primeiro precisamos lembrar que nem todos os ginecologistas são homens, miga. Existem muitas mulheres que também atuam nesta profissão. Além de que “o fato de ser um homem ou uma mulher te examinando, passa a ser irrelevante quando você encontra um profissional sério e ético. O mais importante é encontrar um médico ou uma médica competente e que te trate com respeito, independentemente do sexo”, explica o ginecologista Domingos Mantelli.

Dica: você pode pedir indicações para amigas que já foram ao especialista. Assim você consegue ficar mais tranquila quanto ao profissional em sua primeira consulta.

“Dizem que dói”

“O exame ginecológico não é doloroso, ele pode, muitas vezes, ser um pouco desconfortável, principalmente se a menina estiver muito tensa. Por isso, é sempre importante buscar um profissional que enxergue esse lado. É também importante conversar e explicar que é a primeira consulta ao ginecologista”, tranquiliza a profissional Erica Mantelli.

Vale lembrar que nem sempre é preciso fazer exames. Muitas vezes vocês apenas vão conversar e esclarecer as dúvidas.

“Me sinto muito constrangida”

Ficar com vergonha é normal, miga, mas como lembra o ginecologista Alexandre Pupo, o médico está totalmente acostumado com este tipo de situação e vê vaginas o tempo todo. Ou seja, a sua não será a primeira, hehe. “O ginecologista está habituado, vê mulheres todos os dias, de todas as idades, formas, origens e culturas. Vê desde a faculdade o corpo humano nu e não se constrange mais com isso. Um ginecologista com alguma experiência já ouviu mais histórias doidas do que você consegue pensar”.

Ou seja, você não precisa ficar encanada com as suas dúvidas ou em expor o seu corpo. Este profissional está totalmente preparado para elas.

Giphy

“Eu tenho muita vergonha”

E você não é a única! “Isso também é muito comum. Porém a sua vergonha não pode ser maior do que a sua vontade em manter seu corpo saudável. Sua saúde deve ser sempre a prioridade máxima da sua vida”, lembra o ginecologista Domingos Mantelli.

“A médica enfia o dedo lá dentro? Tenho medo de machucar, tenho medo de ir ao ginecologista”

Miga, pode ficar tranquila, pois “Ninguém vai enfiar nada dentro de você, muito vezes o que é necessário fazer é um exame do toque para avaliar, assim como existe a palpação das mamas e dos membros inferiores. Muitas vezes é necessário, dependendo do caso, realizar o exame de toque para fazer só a estimativa do volume e tamanho do útero, se não tem nenhuma massa palpável ou até um cisto, mas isso só será realizado quando a menina já iniciou a vida sexual e que já tenha passado por outros exames ginecológicos”.

“Tenho medo de ir ao ginecologista porque eu não gosto de falar sobre menstruação!”

“Não gostar de falar sobre o assunto não significa que não seja necessário. Então, é importante, sim, encarar os seus medos e vergonhas, e buscar ler sobre o tema e conversar com amigas que já foram e tiveram boas experiências e perguntar como foi. Com certeza esse preparo inicial irá fazer diferença, sendo mais tranquilo na consulta.”, explica Erica.

“Medo de ser assediada, afinal, o mundo anda sem noção”

“Isso é inadmissível. Assédio é crime, independente da profissão. Daí a importância de procurar um ginecologista de confiança, de preferência algum que você tenha indicação – que sua amiga , mãe ou irmã já frequente e confie”, lembra Domingos Mantelli.

E aí, conseguiu dar adeus ao medo de ir ao ginecologista? Esperamos que sim! <3

Entretenimento

Saúde e bem-estar: 6 motivos para começar a se exercitar

Published

on

Reprodução/Amazon

Independente da modalidade esportiva, a prática diária de exercícios pode trazer diversos benefícios para o nosso corpo e mente. Pensando nisso, trouxemos alguns motivos que vão te convencer da importância de se envolver com uma atividade física:

1. Com o poder de dar aquele gás para cumprir nossas tarefas e compromissos diários, a atividade física permite o ganho de massa muscular, melhora da postura e aumento de nossa força. Sem contar que ainda colabora para o bom funcionamento do cérebro.

2. Além de nos dar energia, a prática de exercícios físicos nos ajuda a reduzir algumas sensações desagradáveis, como a ansiedade e o estresse.

3. Atividades físicas são ótimas aliadas na prevenção e diminuição de riscos de doenças e infecções, já que trazem diversos benefícios para o corpo – como redução da pressão arterial e de gordura, melhora da circulação sanguínea, fortalecimento dos ossos e do sistema imunológico e muitos outros.

4. A prática regular de atividades físicas pode ajudar a melhorar a qualidade do sono durante a noite.

5. Você sabia que se exercitar pode trazer benefícios para os estudos ou para o trabalho? Por fazer com que haja maior circulação de sangue no cérebro, a atividade física garante o estímulo da região que trabalha nossa capacidade de memória.

6. Ah, vale lembrar ainda que se exercitar também ajuda na melhora da autoestima e no autoconhecimento do corpo.

Curtiu nossa lista? Então dá uma olhada nesses itens, disponíveis na Amazon, que vão te ajudar a começar a se exercitar:

Tapete Para Yoga em EVA 

Reprodução/Amazon

5 Faixas Elásticas Pood Resistance Loop Bands 

Reprodução/Amazon

Overball, Liveup Sports 

Reprodução/Amazon

Corda de Pular 

Reprodução/Amazon

Punch Tornozeleira 

Reprodução/Amazon

Halter Pintado 1Kg, Polimet 

Reprodução/Amazon

 

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com o site da Amazon. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a TodaTeen pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/3a1r1fa

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3d11kxr

Continue Reading

Beleza

Problemas de saúde e autoestima: o que não te contam sobre cirurgias plásticas

Published

on

Problemas de saúde e autoestima: o que não te contam sobre cirurgias plásticas
Abby Ouellette

Você provavelmente deve acompanhar alguma influenciadora que já realizou uma cirurgia plástica. Giovanna Chaves, Virgínia Fonseca e Viihtube são alguns nomes recentes. Para as milhões de pessoas que as seguem, muitas vezes pode parecer que essas personalidades passam uma imagem de que o procedimento pode resolver todos os seus problemas. Mas será que essa influência é sempre de maneira positiva? Que os procedimentos são sempre mil maravilhas e totalmente seguros?

Conversamos com uma psicóloga para tentar entender se a busca pelo procedimento é só uma vontade pessoal ou tem uma influência externa, um médico para explicar os riscos, que muitas vezes não ficam explícitos na internet, e com a fundadora da página “Explante de silicone” que passou por um procedimento que a trouxe inúmeras consequências, a fim de mostrar algumas coisas que não te contam sobre cirurgias plásticas.

+ PRÊMIO TODATEEN 2020: Veja a lista completa dos indicados e indicadas!

procedimento mais que comum entre brasileiras

De acordo com as informações da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética, o Brasil é o país que mais realiza cirurgias plásticas, com um número de mais de 1 milhão, além de 969 mil procedimentos estéticos não cirúrgicos. Dentre eles, a prótese de silicone e a lipoaspiração ganham destaque.

Tais números vêm de uma influência imposta há um longo tempo, da época em que os filmes de Hollywood propagavam a imagem da mulher magérrima, com o corpo perfeito. Isso foi se propagando cada vez mais até chegar nos procedimentos populares, como a prótese de silicone e a nova moda das influenciadoras, Lipo LAD, ou lipoaspiração de alta definição, que tem por objetivo retirar a gordura entre os músculos superficiais, principalmente do abdome, dando maior definição a eles.

Harmonização facial: como funciona e quais são os riscos do procedimento estético?

Em nossa sociedade, o interesse das pessoas pela imagem corporal tem sido grande, e o enfoque principal tem sido dado ao peso e à forma corporal. Os padrões atuais para a beleza enfatizam o desejo de magreza, um ideal aceito por muitas mulheres, mas de difícil alcance para a maioria. Um ideal buscado a todo custo e risco por muitas pessoas. Quando se cria um estereótipo social e você encontra alguém que o represente você se sente influenciado por este representante porque ele representa justamente aquilo que você almeja e você vê que de alguma forma isso é possível”, conta Adriana Cancelier, psicóloga especializada em obesidade e emagrecimento.

De acordo com a especialista, essa alta influência presente na nossa sociedade hoje pode trazer vários problemas psicológicos em quem tem contato com padrões corporais, tais como preocupação excessiva com comida, com o corpo, ingestão compulsiva de alimentos e drogas (devido a restrições), desenvolvimento de transtornos alimentares, não aceitação corporal, temor de não ser aceito ou amado, dificuldades de adaptação social, bloqueio social, frustração, dificuldade de lidar com limites, sensação de desamparo, insegurança, intolerância ao diferente, desenvolvimento de baixa autoestima, ansiedade e depressão.

nem tudo são flores

Cirurgias plásticas possuem riscos e nem sempre isso é mostrado. Larissa de Almeida (36), fundadora da página @explantedesilicone, foi uma das brasileiras que colocou a prótese de silicone, há oito anos, com o pretexto de que era para sentir-se “mais mulher”. “Eu via na mídia aquelas mulheres com peito grande e me sentia mal. Sempre fui bem magrinha, pequenininha, então ter peitos maiores era uma coisa que eu coloquei na cabeça que tinha que ter para ser mais mulher”.

Porém, Larissa afirma que a elevada e, de acordo com ela, falsa autoestima que sentiu com o silicone foi por um curto período de tempo. Logo começou a ter dores na região da mama, na costela e problemas de respiração. “No começo eu deixei levar, mas depois, começou a ficar preocupante“.

Com três anos de prótese Larissa teve contratura capsular – que ocorre quando a cápsula, formada naturalmente ao redor da prótese, aperta ela em uma tentativa de “expulsar” o corpo estranho. Depois de mais dois anos, teve a segunda. “Foi aí que eu percebi que tinha que tomar uma providência“, diz ela. Começou a pesquisar sobre os sintomas e descobriu mais problemas que tinha, que nem sonhava serem por conta da cirurgia plástica.

Dossiê Lipo LAD: os riscos, resultados e valores do novo procedimento estético preferido das famosas

Olhos secos, problema de visão, perda de memória, problemas nas articulações, dores nas mamas, não conseguir dormir de bruços, ou dar abraços, queda de cabelo e mais outros 20 sintomas por conta da prótese. “Foi um baque não queria aceitar“. Pesquisando mais e mais, Larissa acabou descobrindo inúmeras mulheres que passam pelo mesmo ocorrido e que popularizaram o nome como “Doença do silicone”.

Ela afirmou que faltou muita instrução médica antes de realizar o procedimento e que isso é uma coisa que não te contam quando você pensa em realizar. É cada vez mais importante que páginas como a dela, que mostrem a realidade das cirurgias estéticas, continuem crescendo assim como a influência cada vez maior por parte das famosas do Instagram.

Meu objetivo com a página é alertar as mulheres na hora desses procedimentos e mostrar que existe beleza no natural e que as mulheres que realizaram o explante também podem ser felizes, se aceitando como são“.

Uma influencer que compartilhou o resultado de uma lipo LAD logo que saiu da mesa de cirurgia, foi Virgínia Fonseca. Os seguidores ficaram assustados com a gravidade de hematomas aparentes no corpo da influenciadora, mas aplaudiram o gesto dela “mostrar que nem tudo são flores”.

riscos das cirurgias

A doença do silicone, explicada pelo doutor Ricardo Miranda, está relacionada ao aparecimento de diversos sintomas, muitas vezes não divulgados, que aparecem após a colocação da prótese. Os principais sintomas são fadiga, queda de cabelo, dor de cabeça, ansiedade, depressão e insônia.

Ricardo  explica que as pacientes devem ser informadas de todos os riscos possíveis pelo médico e só assim, seguir com o procedimento escolhido de forma consciente. “É importante saber que todo procedimento assim possui riscos. Dentre os principais e mais comuns são infecções, hematomas, aberturas do ponto e a trombose“, afirma o especialista.

O doutor ainda explica sobre o popular procedimento “Lipo LAD”. As consequências são graves se não for realizado da maneira correta e por um profissional responsável, podendo causar distorções da anatomia corporal e fibrose.

A influenciadora Giovanna Chaves, que realizou o procedimento da Lipo LAD, compartilhou recentemente que teve complicações após a cirurgia. “Estou usando isso (um curativo na lateral da barriga) porque eu estava com muita retenção (de líquido) e eu acabei tendo fibrose”, afirmou em um vídeo publicado nos stories.

A Lipo LAD é um tipo de cirurgia bem novo e por isso é muito incerto saber todas as consequências que ela pode causar. Portanto, pode ser bem arriscado se aventurar nela, só por influências externas que ainda não tem um prazo de tempo longo, e não são garantia que sua saúde não será comprometida.

para o público jovem, o perigo é ainda maior?

É fato que a maior parte da população que habita as redes e segue influenciadores é jovem. A psicóloga Adriana explica que quanto menor a maturidade, maior a chance de se influenciarem e quererem fazer alguma cirurgia estética sem nenhum conhecimento sobre o assunto. “Jovens  procuram participar de grupos uniformes, fazendo parte de uma identificação, onde se identificam uns com os outros. Eles se baseiam mais em estereótipos que são supostamente populares na sociedade em que fazem parte“.

Criamos a nossa identidade através de imagens, pessoas e vivências, que permeiam nosso convívio. Dependendo de como este adolescente se vê ele pode desenvolver uma inadequação da sua imagem corporal que pode acarretar uma insatisfação com o próprio corpo, levando a um “distúrbio” de autoimagem e transtornos alimentares (anorexia nervosa e bulimia nervosa)“, afirma.

De acordo com o doutor Ricardo Miranda, para pacientes menores de 18 anos não são recomendadas cirurgias desse tipo, por conta do ainda desenvolvimento corporal. É necessário ter a autorização dos pais para tal. Já alguns procedimentos como mamoplastia redutora, em pacientes com dores nas costas, são permitidos e essenciais para a garantia da saúde.

o problema não é fazer o procedimento, mas, ter maturidade para entender que não será este procedimento que resolverá seu problema de autoestima e autoaceitação”

Adriana explica que não repudia completamente as cirurgias estéticas e que elas podem ser feitas, desde que de forma consciente. “É importante primeiramente trabalhar a autoaceitação e a autoestima, pois, estes são processos que vem de dentro para fora.  Saber que cada indivíduo é diferente e tem suas características particulares. Com consciência e maturidade podemos sim mudar algo que nos incomoda“.

A respeito da responsabilidade de influenciadoras, a especialista explica que o problema está na banalização e não mostrar os vários riscos e consequências que cirurgias plásticas podem trazer. “Acredito que poderiam falar de uma forma mais individualizada, levando em conta que influenciam o mais variado público, ter esta responsabilidade com as pessoas que as seguem. Veja, o problema não é fazer o procedimento, mas, ter maturidade para entender que não será este procedimento que resolverá seu problema de autoestima e autoaceitação”.

como descobrir se a cirurgia plástica é uma vontade própria ou influência de pessoas que a gente segue?

De acordo com Adriana é importante se entender e pensar que você tem pensamentos completamente diferentes da outra pessoa.

A parte mais importante deste processo é o autoconhecimento. Se eu me conheço, compreendo meus pontos fortes e sei onde preciso trabalhar e desenvolver. Saber das minha qualidades e incluir significado e propósito em nossas vidas pode ser tremendamente motivador, empoderador e terapêutico. Quando foco em minhas potencialidades desenvolvo uma relação mais positiva comigo mesmo e com o mundo que me cerca. Procurar um bom profissional que ajude a compreender este processo pode ser extremamente válido“.

Continue Reading

Beleza

Xô, candidíase: o que é, como prevenir e quais são os tratamentos?

Published

on

Xô, candidíase: o que é e quais são os tratamentos?
Rawpixel

Não tem jeito. Segundo uma pesquisa de 2020, do Ibope em parceria com a farmacêutica Bayer, pelo menos 52% das brasileiras já tiveram a candidíase, fazendo com que a doença atinja 3 em cada 4 mulheres. Com números tão alarmantes, é necessário que a gente tenha cada vez mais acesso à informação – lembrando que, apesar de comum, a condição pode ser facilmente evitada com hábitos do dia a dia.

Pensando nisso, a todateen compilou as principais informações que vocês precisam saber sobre candidíase.

+ Você sabe o que é pobreza menstrual? Conheça o projeto “Fluxo Sem Tabu”

Confira!

o que é candidíase, afinal?

A candidíase acontece quando o fungo Candida albicans se multiplica na região íntima, geralmente ocorrendo quando o sistema imunológico está mais debilitado ou após o uso prolongado de remédios que afetem a flora vaginal, como antibióticos, por exemplo.

Os principais sintomas são ardor, coceira, inchaço na região genital, corrimento esbranquiçado, aftas na boca e dor ao engolir alimentos. Lembrando que os homens também podem contrair candidíase, e o principal sintoma para eles é a ocorrência de uma vermelhidão e uma espécie de nata na ponta do pênis.

Além disso, fatores como uso de absorventes descartáveis, alimentação inadequada, estresse, sono desregulado também influenciam no aparecimento da infecção.

o que fazer?

Vale ressaltar sempre que, para um tratamento adequado, é necessário que você consulte um médico especializado e de confiança. No entanto, adotando algumas práticas no dia a dia podem ajudar a tratar e evitar a doença. Em entrevista, a obstetriz e fundadora da marca de coletores menstruais Inciclo, Mariana Betioli, indica:

“É importante manter a vagina arejada. Pra fazer isso, devemos evitar usar roupas apertadas, como calças jeans e se possível, preferir sempre calcinhas de algodão. O ideal, inclusive é dormir sem roupa íntima para deixar a vulva ‘respirar’”.

Além disso, manter a região íntima limpa é algo fundamental para ajudar no tratamento da candidíase. Só que há um porém: a limpeza não deve ser feita na parte interna. Deve-se lavar somente a vulva, que é a área externa.

Xô, candidíase: o que é e quais são os tratamentos? (Divulgação/Rawpixel)

Xô, candidíase: o que é e quais são os tratamentos? (Divulgação/Rawpixel)

Em estudo feito pela Inciclo, foi analisado que 60,7% das mulheres que usaram coletores menstruais, ao invés de absorventes descartáveis, relataram eliminação da infecção ou uma menor incidência da candidíase.

“Quando usamos absorventes externos, a região íntima fica abafada por muito tempo e em contato com o sangue em decomposição, aumentando o risco de infecções”, conta Mariana. “Bactérias e fungos adoram locais quentes e úmidos. São os melhores lugares para proliferação”.

Lembrando que os coletores são feitos com silicone hipoalergênico, um material sem corante e substâncias químicas, que evita irritações e dermatites na vulva. A vagina mantém seu pH equilibrado e sua umidade natural, deixando de acumular bactérias e fungos, ao contrário dos absorventes.

+ Coletor menstrual: qual idade certa para começar a usar?

De acordo com a obstetriz, a alimentação ainda pode ser uma grande aliada. “A cândida se alimenta de açúcar e carboidratos simples, então reduzir o consumo de farinha branca e doces certamente vai fazer diferença no tratamento.”, destaca.

Relembrando que a secreção vaginal é, – além de comum –, saudável e natural, sendo algo que toda vagina produz. Mas o sinal de alerta precisa ser ligado se essa secreção vier junto de sintomas como coceira, vermelhidão, mau odor, secreção esverdeada, amarela ou branca, dor ao urinar, entre outros. Nesses casos, pode indicar infecção.

Autoconhecimento é extremamente necessário, especialmente quando falamos de saúde íntima. Quando nos conhecemos, sabemos se tem algo errado com nosso corpo.

Continue Reading
Advertisement
Combinação de Nomes

Todos os nomes possuem significados e juntos formam uma combinação única!

Digite nos campos abaixo e descubra nos mínimos detalhes.

 
Combinação de Signos

Confira a combinação de signos para todos do zodíaco

Descubra quais signos combinam no amor, sexo, trabalho e amizade. Faça quantas combinações desejar e compartilhe!

Mais Lidos

Copyright © 2020 - Website produzido por Perfil.com Ltda. Uma parceria de conteúdo Perfil Brasil e Editora Alto Astral. Este site é parceiro do UOL Entretenimento.